A ambição de ser a melhor empresa de energia em Portugal

A Goldenergy está a apostar na eletricidade 100% verde, em que todos os megawatts por hora que fornece têm garantia de origem no vento e na água. Uma empresa em crescimento que está a dar cartas num mercado dominado por gigantes.

Preço, Serviço e Sustentabilidade regem a Goldenergy. Para isso, e conforme já anunciado, Miguel Checa, CEO da empresa de eletricidade e gás natural, está determinado em «fornecer energia renovável, ao preço justo, sem letras pequenas nos contratos, com transparência e com um serviço rápido e de proximidade, baseado em todas as ferramentas digitais e omnicanal disponíveis».

Sempre em constante adaptação e melhoria, não fosse esta uma empresa de origem portuguesa com sede em Vila Real e ADN de startup. Ainda que esteja há mais de 12 anos no mercado e em 2019 se tenha unido ao centenário Grupo Energético suíço Axpo. Com um mercado em plena disrupção, assume-se como a quinta maior comercializadora de eletricidade a clientes domésticos em Portugal, com uma quota de mercado de 2,4% na eletricidade e de 13% no mercado do gás natural.

A meta é aumentar quota e chegar aos 500 mil clientes nos próximos dois anos, com especial foco na eletricidade onde a empresa cresce atualmente a um ritmo de mais de 500 contratos por dia. Hoje, o desafio é duplicar este número.

No meio de todo este esforço, outro grande pilar são as pessoas, dos mais de cem colaboradores 70% são mulheres e 60% estão em cargos de direção.

A Goldenergy nasceu com a visão de fornecer eletricidade e gás natural a todas as pessoas e em todos os locais, mesmo os mais distantes de Portugal. Qual é o posicionamento atual da empresa?
Preço, Serviço e Sustentabilidade. Queremos fornecer energia renovável, ao preço justo, sem letras pequenas nos contratos, com transparência e com um serviço rápido e de proximidade, baseado em todas as ferramentas digitais e omnicanal disponíveis. Atualmente, temos já mais de 270 mil pontos de consumo ativos e angariamos uma média diária de 500 contratos. Isto só é possível com processos sólidos, a qualidade e a experiência de mais de 12 anos no mercado. Queremos ser disruptíveis no mercado, ser a melhor empresa de energia em Portugal, com uma aposta na eletricidade 100% verde.

Está a afirmar-se no mercado da energia sustentável 100%. Em que sentido estão a transformar a empresa?
A Goldenergy é das únicas maiores comercializadoras em Portugal que em 2020 pode dizer que toda a eletricidade que fornece, a todos os seus clientes, tem garantia de origem 100% verde. Promover o uso da energia 100% verde está no nosso ADN, pelo que não estamos a transformar a empresa por isso. Estamos sim em constante melhoria e adaptação às novas necessidades dos clientes e do mercado, pelo que estamos a investir nas nossas equipas em formação e implementação de ferramentas de primeiro nível como Salesforce, Talkdesk, UiPath ou Outsystems. Para poder gerir este crescimento de forma escalável precisamos do recurso a tecnologia, de forma a que este crescimento nos permita, para além de oferecer preços justos, oferecer qualidade e excelência no serviço. Acreditamos que a vida é analógica, mas aproveitamos todas as ferramentas disponíveis para estar mais perto dos clientes.


Qual é que acredita que será o papel das grandes utilities no futuro?

Especialmente este ano, com todas as alterações a que assistimos por causa da pandemia, sem dúvida que o futuro ainda é incerto mas será como nós queiramos que seja. Sou especialmente otimista porque acredito que toda a disrupção que está a acontecer no nosso setor traz uma revolução positiva para as pessoas. Eletrificação, autoconsumo, pro-sumers, comunidades de energia, tudo isto possibilita um mundo muito mais sustentável., que respeita a natureza e a qualidade do ar nas cidades. Olho para um mundo, no futuro, mais eficiente, muito mais elétrico, onde a ideia de Energy sharing our Energy Communities permitirá cada vez mais uma maior otimização do uso de energia. Na Goldenergy, este próximo ano, vamos reforçar a aposta no autoconsumo e a aposta na mobilidade elétrica, baseados no Customer Experience, na transparência e em tornar o que é complicado em simples.

A empresa alcançou em 2019 um lucro de 200 mil euros, depois de ter reportado um prejuízo de 1,8 milhões de euros em 2018. Quais as perspetivas de crescimento para este ano e o próximo?
Perspetivamos a continuação de resultados positivos sustentáveis. Apesar dos problemas expectáveis de quebra do consumo e das imparidades, e de termos investido aproximadamente um montante de 300 mil euros (mais que os lucros do ano anterior) este ano na oferta de uma fatura grátis a todos os nossos clientes mais afetados pela COVID-19. Por outro lado, nos últimos dois anos, contratámos perto de 20 pessoas e o nosso plano é continuar a crescer também na área dos Recursos Humanos. Queremos ser uma empresa que foca a sua atenção não só nos resultados, mas também nos nossos clientes e colaboradores, ou seja, na sociedade ativa.

Quais são os principais motores de crescimento?
O principal motor do nosso crescimento são sem dúvida os nossos clientes que recomendam os nossos preços e o nosso serviço, a que se junta o facto de sermos uma empresa que lhes garante energia proveniente apenas de fontes 100% renováveis, ao preço justo, uma empresa para a qual é fácil mudar, sem complicações e burocracias, e de forma rápida e segura a que se junta o facto de sermos uma empresa socialmente responsável. Acreditamos que as nossas soluções de autoconsumo vão ter também um impacto relevante no nosso crescimento.

Diz ser a quinta maior comercializadora de eletricidade a clientes domésticos em Portugal, com uma quota de mercado na eletricidade de 2,4% e no mercado do gás natural de 13%. Quais os objetivos de crescimentos em quota e clientes?
A Goldenergy mantém o seu objetivo de aumentar a sua quota de mercado e de ter nos próximos dois anos até 500 mil clientes, com especial foco na eletricidade onde a empresa cresce atualmente a um ritmo de mais de 500 novos contratos por dia. Mas o nosso desafio é duplicar este número.

A Goldenergy, uma empresa portuguesa, com sede em Vila Real, além de contribuir para o desenvolvimento e emprego no interior do País, está a dar cartas num mercado dominado pela EDP e onde se contam outros “gigantes” como a ENDESA, a Iberdrola ou a GALP. De que forma se distinguem da concorrência?

(…)

Por TitiAna Amorim Barroso
Fotos DR

A entrevista foi publicada na íntegra na edição de dezembro da revista Líder.

Artigos Relacionados: