A ficção científica ajuda-nos a lidar com as crises, insistem os especialistas

Ver um jovem consumido num romance sobre seres do espaço, em vez de preferir divertir-se e exercitar-se no parque faz surgir provavelmente uma palavra na sua mente: nerd ou sinal de pessoa introvertida, intelectual.

“Talvez esse jovem que devora livros cresça e venha a tornar-se multimilionário (muitos dos maiores nomes de empresários de sucesso, como Bill Gates, eram fãs dedicados de ficção científica na sua juventude),” diz a revista de negócios Inc. num artigo sobre a hipótese de a ficção científica poder tornar os nossos filhos mais resilientes.

Em vez de um caminho seguro e direto para o isolamento social, os pais devem pensar na ficção científica como uma ótima maneira das crianças (e os adultos) desenvolverem força mental e imaginarem melhores futuros, argumentam os especialistas.

“Os escritores de ficção científica não sabem mais nada sobre o futuro do que qualquer outra pessoa”, admitiu recentemente o célebre escritor de ficção científica Kim Stanley Robinson no The New Yorker. “Ainda assim, se lê ficção científica pode ficar um pouco menos surpreendido com o que lhe venha a acontecer.”

E por quê? “Ao apresentar realidades alternativas plausíveis, as histórias de ficção científica capacitam-nos para enfrentar não apenas o que pensamos, mas também como pensamos e por que pensamos. Revelam quão frágil é o status quo e quão maleável o futuro pode ser”, disse Eliot Peper no site da Harvard Business Review.

Imprevisibilidade é a única coisa previsível
A ficção científica prepara-nos, não apenas para imaginar outros mundos, mas também para encarar o facto de o mundo como existe hoje não ser fixo. Alternativas são possíveis. Talvez até inevitáveis. O status quo pode parecer uma névoa envolvente ao nosso redor. A ficção científica (e os choques globais como o que estamos a viver) parte do nevoeiro, lembrando que os impérios caem, as certezas desmoronam-nos. Imprevisibilidade é a única coisa previsível.

Mas ler sobre mundos imaginados e distantes não é apenas uma lição de humildade intelectual, de acordo com Esther Jones, professora de Inglês na Universidade Clark. Ajuda-nos também a saber lidar com os choques que o nosso futuro imprevisível inevitavelmente enfrentará.

Ler ficção científica e ficção pode ajudar os jovens a lidar, especialmente, com o stresse e a ansiedade de estarem a viver em tempos de pandemia. Habitar mundos alternativos ajuda as crianças a lidar com o stresse do mundo real. Ao apresentar desafios como degradação ambiental e exploração económica, a ficção científica leva os leitores a reconhecer e a pensar sobre esses problemas.

Pensar nas mudanças climáticas é uma chatice e perturba. Mas imaginar o seu herói espacial favorito a salvar o seu planeta do colapso do ecossistema causado pela fuga na exploração de minério pode fazer toda a diferença na mente de um jovem de 12 anos.

O apelo final que Esther Jones faz aos pais é simples: “Deixe-os ler ficção científica.” Um conselho sólido, não apenas para quem tem filhos, mas para qualquer pessoa, inclusivamente para os empresários, que assim podem aumentar a sua capacidade de lidar com todos os golpes malucos que o mundo ainda tiver para nos pregar no futuro.

Artigos Relacionados: