A formação dos trabalhadores da Administração Pública

O Decreto-Lei n.º 19/2021 veio alterar o modelo de ensino e formação na Administração Pública com o objetivo de reforçar a formação, qualificação e capacitação dos trabalhadores da Administração Pública, com apoio também no conhecimento científico produzido em redes nacionais e internacionais de geometria variável.

A formação de pessoas é a missão histórica fundamental do INA, I.P. No entanto, atendendo às mudanças em curso na sociedade contemporânea, é ilusório pensar que basta melhorar pontualmente os modelos do passado. Porque temos que, permanentemente, nos recriar ex novo, é sempre mais determinante o foco na formação – de quadros mentais, de raciocínio e atuação, com apoio científico – em detrimento da mera transmissão de informação, por natureza passível de rápida desatualização.

Ora, o INA cumpre-se – tem-se cumprido, há-de continuar a cumprir-se – no conhecimento, com energia e entusiasmo. E é importante manter a cultura de serviço e de interesse públicos, privilegiando a função de observatório de mecanismos promotores da qualidade, tanto internamente, como na Administração Pública em geral.

O INA tem de ser – terá de ser – um centro promotor do conhecimento e ao desenvolvimento científico, social, tecnológico e cultural da comunidade envolvente, tomando posição técnica e formulando propostas, promovendo atividades inovadoras e apostando na valorização do conhecimento através de projetos estratégicos e na oferta de serviços relevantes para a resolução de problemas, na formação de pessoas aptas a pensar e a interpretar os sinais dos tempos.

A configuração do INA, nestes termos, confere-lhe um dever e uma responsabilidade acrescidos no desenvolvimento das competências chave de liderança, de inovação e de gestão, permitindo identificar oportunidades de mudança, criar estratégias, ultrapassar bloqueios, e propiciar condições para dar continuidade às alterações conjunturais.

Nesse sentido, tem o INA dinamizado Oficinas de Cocriação, Programas de Mentoria para a Inovação e Liderança, Ferramentas de Autoavaliação da Cultura de Inovação, Aceleradora de Ideias em Serviços Públicos e Laboratórios de Liderança.

Importa que estas estruturas (re)integrem a missão de formação do INA, no desenvolvimento de soluções inovadoras, dinâmicas e versáteis de capacitação de trabalhadores e dirigentes.

Pretende-se garantir que todos os trabalhadores e dirigentes da Administração Pública tenham as competências adequadas para lidar com um mundo cada vez mais digital e globalizado, sendo, por isso, essencial promover dinâmicas de trabalho inclusivas e colaborativas que estimulem a inovação, a produtividade e a colaboração, quer no contexto nacional, quer no contexto europeu. A promoção da partilha de contextos de aprendizagem experiencial aos trabalhadores e dirigentes, vem permitir o reforço das relações entre os Estados-membros da União Europeia assim como a partilha e a adoção de práticas que conduzam à excelência dos serviços que a Administração Pública presta ao cidadão.


Por Luísa Neto, Presidente da Comissão Instaladora do INA, I.P.

Artigos Relacionados: