“A pandemia fez sobressair as fragilidades do mundo”, diz António Guterres

“Construir uma sociedade mais justa seria essencial para a saúde do mundo – além de salvar o planeta da degradação climática e da destruição ecológica”, disse António Guterres, secretário-geral da ONU, no primeiro dia da conferência para líderes de empresas integrada na Global Compact da ONU.

Para o ex-primeiro-ministro de Portugal, que governou entre 1995 e 2002, esta é uma crise de saúde, económica e social sem paralelo na história das Nações Unidas. Se antes “não causar danos” era uma abordagem comum para a comunidade empresarial, hoje já não pode ser assim: “chegámos a um novo cenário onde as expectativas e as responsabilidades são elevadas.”

Mas, apesar do progresso, continuou, “ameaças sérias prejudicam o nosso futuro, incluindo mudanças climáticas, pobreza, perda de biodiversidade e aumento das desigualdades sociais. A pandemia fez sobressair as fragilidades do mundo, que se estendem muito além do âmbito da saúde global.”

O que fazer? Na visão de Guterres é urgente estarmos globalmente unidos e acreditar na cooperação internacional. E as empresas precisam de agir, indo além do “business as usual”, afirmou na conferência que faz este ano 20 anos de existência.

Nova ambição social na agenda

Como é que os negócios podem suportar o mundo para recuperarmos da crise? A resposta de António Guterres foi: SDG Ambition. Trata-se de uma iniciativa aceleradora para desafiar e apoiar as empresas participantes do Global Compact das Nações Unidas a realizar sem demoras os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) ou 17 Sustainable Development Goals (SDG).

Definidos em 2015 por mais de 150 líderes de todo o mundo na sede da ONU em Nova Iorque, estas metas foram criadas como um compromisso para serem implementadas por todos os países do mundo durante os 15 anos seguintes – até 2030. A questão hoje é que faltam 10 anos e muito está por fazer.

Para Lise Kingo, a responsável pela área de negócios sustentáveis da ONU, “as questões de desigualdade social fazem parte da agenda de desenvolvimento sustentável.” Na abertura do Global Compact 2020 deixou um alerta aos líderes e CEO: “Queremos que todos os executivos se tornem ativistas sociais – entendam a igualdade social. O único caminho a seguir é criar um mundo que não deixa ninguém para trás.”

Artigos Relacionados: