A Sustentabilidade é um pilar da estratégia da Corticeira Amorim


Ergueu-se como fábrica para a produção manual de rolhas para o vinho do Porto, em 1870. A Corticeira Amorim é a maior empresa de produtos de cortiça no Mundo e a mais internacional das empresas portuguesas (gerando um volume de negócios superior a 700 milhões de euros em 2019 e presente em mais de 100 países, através de uma rede de dezenas de empresas subsidiárias).

A cortiça está no centro – um material 100% natural, renovável, reutilizável e reciclável. «Um material para o milénio», salienta o CEO da Corticeira Amorim, António Rios de Amorim faz parte da quarta geração da família Amorim a manobrar os destinos do negócio. António conhece os cantos à casa como poucos, desde a mais tenra idade que esta é a sua segunda casa. Nos primeiros anos, visitava as fábricas e seguia, com curiosidade e admiração, as pisadas do pai, António Ferreira de Amorim. Nas férias de verão, costumava acompanhar os negócios da família, adquirindo conhecimento direto das propriedades e qualidades naturais da cortiça. Chegou à presidência no dia 30 de março de 2001, substituindo o tio Américo Amorim, o carismático líder da Corticeira Amorim, mas já era administrador executivo desde 1990.

À frente dos destinos deste império, reinventa o negócio da cortiça à escala global e entra em segmentos de atividade diversos, do têxtil, à hotelaria, casinos e imobiliário. Pelo meio foi presidente da Confederação Europeia de Cortiça entre 2003 e 2010 e, em 2012, terminou o seu terceiro mandato consecutivo à frente dos destinos da APCOR – Associação Portuguesa de Cortiça. Sob a sua liderança a indústria da cortiça experienciou um reconhecido renascimento, consolidando Portugal como incontestável líder mundial do setor.

De ano para ano é mantido e reforçado o compromisso com o futuro, de ser uma marca sólida, coesa e dinâmica, com a sustentabilidade como principal referência identitária. «A ambição de ir mais longe move a Corticeira Amorim a apostar no contínuo desenvolvimento de projetos focados na investigação e inovação que resultam em produtos e soluções com vantagens incomparáveis», conta à Líder.

Reunimos algumas marcas que se destacam no panorama da Sustentabilidade para nos desvendarem quais as suas metas para um futuro mais verde.  António Rios de Amorim aceitou o desafio.

«A Sustentabilidade é um pilar da estratégia da Corticeira Amorim. Tanto a visão como a missão (acrescentar valor à cortiça, de forma competitiva, diferenciada e inovadora, em perfeita harmonia com a Natureza) têm em consideração o Capital Natural. Todos os stakeholders são fundamentais na identificação das prioridades estratégicas e as suas preocupações e expectativas são tidas em conta. Vários indicadores chave de desempenho são monitorizados e reportados consistentemente desde 2006.

A atuação no dia a dia alinha-se com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas, contribuindo diretamente para a prossecução de 12 desses Objetivos.

Líder de uma das indústrias caracterizadas como das mais sustentáveis do mundo, de ano para ano é mantido e reforçado o compromisso com o futuro, de ser uma marca sólida, coesa e dinâmica, com a sustentabilidade como principal referência identitária.

A ambição de ir mais longe move a Corticeira Amorim a apostar no contínuo desenvolvimento de projetos focados na investigação e inovação que resultam em produtos e soluções com vantagens incomparáveis.

De entre os benefícios mais relevantes para o Planeta está o trabalho para a preservação do montado e os serviços dos ecossistemas, para a aplicação das práticas de economia circular e para o desenvolvimento de produtos verdes que têm a cortiça no centro – um material 100% natural, renovável, reutilizável e reciclável. Um material para o milénio».

Pode ler todas as intervenções na edição de primavera da revista Líder.

Por TitiAna Amorim Barroso

Artigos Relacionados: