As apps mais utilizadas durante a quarentena

As aplicações de smartphone mais usadas nesta quarentena revelam as nossas novas necessidades. O período de quarentena em todo o mundo devido à pandemia do novo coronavírus tem provocado mudanças no dia a dia das pessoas, que se veem diante de uma nova rotina.

Nos EUA, por exemplo, as apps de uso profissional para reuniões à distância, como o Zoom e o Teams têm sido muito usadas porque vêm responder a necessidades de quem está em teletrabalho. Mas as apps de entretenimento não ficam esquecidas, diz a revista de negócios Exame Brasil, que analisou o ranking das 9 aplicações mobile mais vezes instaladas durante os primeiros tempos da quarentena a que o mundo ocidental tem estado sujeito desde março de 2020.

O trabalho a partir do escritório de casa pode trazer uma série de novos desafios, assim como passar 24 horas dentro de casa, sozinho ou com a família traz ao de cima temas de arquitetura e design de interiores que antes eram ignorados.

Os dados da Priori Data sobre as apps com mais downloads feitos nos EUA na semana de 26 de março a 1 de abril, mostravam que a necessidade de reuniões de trabalho remotas tem falado mais alto.

A app de videoconferências Zoom foi a que teve mais instalações nesse período, com 3,2 milhões de downloads. A necessidade de trabalhar em teletrabalho e de também estudar à distância, mantendo contacto com equipas de trabalho, colegas e professores, leva a que apps como Hangouts Meet (1,2 milhão de downloads), Google Classroom (1,1 milhão) e o Microsoft Teams (700 mil) esteja no top deste ranking.

Nenhuma destas quatro apps aparecia em rankings mundiais de janeiro ou fevereiro de 2020, por exemplo, antes da quarentena, embora a cidade chinesa de Wuhan, epicentro da pandemia, já estivesse de quarentena, por exemplo.

Dados da Sensor Tower mostram que, em fevereiro, o top 10 de apps com mais downloads no mundo não incluía nenhuma app para profissionais ou relacionada com trabalho, apenas apps de redes sociais de entretenimento, como o YouTube, Facebook, Instagram e Snapchat. Ou apps de comunicação, como o WhatsApp e o Facebook Messenger.

Os dados da Priori Data sobre os EUA revelam também outra necessidade dos tempos de confinamento, além da vida profissional e académica: a necessidade de entretenimento. Três apps do ranking entram nessa categoria: o fenómeno Tik Tok, que mistura música e vídeo, o segundo com mais downloads feitos, com 1,9 milhão de downloads. E também duas apps de jogos: Perfect Cream e Save The Girl.

A necessidade de notícias e informações durante a quarentena, principalmente para acompanhar em tempo real o desenrolar da pandemia, fica clara com a presença da app News Break na lista, com 800 mil downloads.

A nova app Houseparty, a quarto mais usada nos EUA, com 1,1 milhão de downloads, chama a atenção. Serve para chamadas de vídeo, mas propõe trazer momentos de diversão com amigos, criando uma “festa virtual.” Apesar da polémica e críticas de que a aplicação rouba dados pessoais, até mesmo senhas bancárias e de cartão de crédito, já foi instalada mais de 10 milhões de vezes no mundo.

Ranking das aplicações mobile mais populares

Este é o top 9 das apps mais vezes instaladas nos EUA entre 26/3 e 1/4 (fonte: Priori Data)

  1. Zoom – 3,2 milhões
  2. Tik Tok – 1,9 milhão
  3. Hangouts Meet – 1,2 milhão
  4. Houseparty – 1,1 milhão
  5. Classroom – 1,1 milhão
  6. Perfect Cream – 900 mil
  7. News Break – 800 mil
  8. Save The Girl – 800 mil
  9. Microsoft Teams – 700 mil

Artigos Relacionados: