As cinco questões vitais que moldam o caminho digital das marcas

Para as marcas que já adotaram com sucesso a transformação digital, o “novo normal” poderá ser tão desafiante como estimulante e próspero. Um dos desafios mais comuns tem sido compreender os novos comportamentos e desejos dos consumidores. É que o consumidor deixou de usar o digital, para ser ele próprio digital. Com isso, a jornada de compra evoluiu de forma inesperada e agora há que reformular rapidamente os processos de venda, nos quais se inclui o pré e o pós-venda.

O impacto da mudança ágil de algumas marcas já se fez sentir de norte a sul do País. Pauta-se por marcas que substituíram o instinto de sobrevivência pela visão de prosperar, fazendo jus à máxima de que “mais tarde ou mais cedo todos aprendem, mas quem aprender primeiro sairá vencedor!”. Assim, chegou a hora das organizações colocarem em modo pausa a sua resistência à mudança. Não há como “não compreender”, “não concordar”, “não gostar” ou “não ter interesse” pelo digital! A necessidade de responder às novas exigências do mercado terá de se sobrepor ao medo do desconhecido e à relutância em aceitar este novo paradigma. O “day after” já passou! Ou as marcas são ágeis e mudam ou perdem relevância e desaparecem! As soluções digitais são agora vistas por muitos, como a chave mestra que irá abrir a porta para um novo horizonte cheio de possibilidades.

Todos os dias recebemos na Agência pedidos de propostas para desenvolver estratégias digitais de Inbound Marketing, Planos de Marketing Digital, criar Websites Institucionais ou de E-commerce, gerir campanhas Google ou implementar Social Media. Porém, mais importante que receber uma boa proposta de soluções de Marketing Digital e iniciar um caminho que aparenta ser inevitável, parece-nos relevante que as marcas repensem antes de mais o seu processo de venda e que a seguir procurem soluções de Vendas Digitais.

Assim, convidamos as organizações a refletirem sobre cinco questões fundamentais para a estratégia de qualquer negócio, seja ele offline, misto ou exclusivamente online:

• Como pensa e se comporta o novo consumidor que me vai comprar?

• Como posso satisfazer as novas exigências das minhas buyer personas?

• Como é a nova jornada de compra e quais são os novos canais?

• Quais devem ser os novos processos de venda e como posso implementá-los?

• Qual será o ROI associado à transformação digital, a um, dois e três anos?

Em jeito de conclusão, a nossa prática diária em Consultoria Digital diz-nos que o rumo de uma marca agora de volta ao “novo normal”, passará em grande parte pelos canais digitais. Sendo que o foco deverá estar na compreensão do comportamento digital do consumidor e nos processos de vendas adotados pela marca, para satisfazer as necessidades deste. Assim sendo, a experiência do consumidor e os processos de venda, constituem os dois principais pontos que acreditamos que vão moldar o caminho a seguir para um futuro próspero, durante e no “pós-apocalítico”.


Por Rute C. Almeida, diretora da Made2Web Digital Agency.

Leia o dossier Leading Brands aqui.

Leia mais aqui.

Artigos Relacionados: