Barack Obama: cronologia de oito anos de presidência

Em 2008, Barack Obama festejou a sua vitória no primeiro mandato como Presidente dos Estados Unidos. Em janeiro de 2017, perante cerca de 18 mil pessoas e acompanhado de Michelle Obama, primeira-dama, e das suas duas filhas, Malia e Natasha, despediu-se de oito anos de presidência.

A família continuou a gerar interesse nos meios de comunicação e desde 2017 que tem apostado no trabalho da Fundação Obama (Obama Foundation), organização sem fins lucrativos que ajuda a combater as dificuldades em todos os campos da vida de vários jovens e homens negros e financia a ida de alguns estudantes para a universidade.

A missão da Fundação Obama é “inspirar, capacitar e conectar pessoas para mudar o seu mundo- uma missão que começa em casa, no lado sul de Chicago”, onde Barack Obama está a construir o Centro Presidencial Obama.

No site da fundação apresenta uma cronologia com os principais momentos da sua presidência, a que chamou “a nossa história.” A linha de tempo arranca a partir do momento em que, a 20 de janeiro de 2009, Barack Obama foi eleito 44º Presidente dos Estados Unidos, completando a jornada que o levou de Chicago até à Casa Branca. Seguem-se vários capítulos ou eras: 1964 – 2003; 2004 – 2007; 2008 – 2011; e 2012 – 2017.

Discurso de despedida

O último marco, dia 10 de janeiro de 2017, é um vídeo do ex-Presidente a fazer o seu discurso de despedida, que pode ver aqui.

Na véspera de ceder o poder a Donald Trump, explicou porque assinou um decreto de comutação da pena de 35 anos de prisão aplicada a Chelsea Manning, a sargento condenada pela entrega de cerca de 700 mil documentos diplomáticos e militares, grande parte dos quais classificados como “secretos” e “sensíveis”, ao WikiLeaks.

“Atendendo a todas as circunstâncias, era a decisão apropriada – e sinto-me muito confortável com ela”, esclareceu Obama na última conferência de imprensa como Presidente dos EUA. “Sinto que a justiça foi cumprida e que a mensagem foi transmitida, e não percebo como alguém pode ficar com uma impressão diferente”, prosseguiu Obama, referindo-se em simultâneo às críticas de leniência da oposição republicana e às dúvidas jurídicas levantadas pela sua decisão.

“Não foi um perdão”, repetiu, lembrando que nos últimos sete anos “Chelsea Manning cumpriu uma pena de prisão muito dura”, cuja extensão entendeu ser desproporcional à sentença cumprida por outros condenados pelo mesmo crime.

Não foi só a pena de Chelsea Manning que o Presidente achou por bem rever. No mesmo dia, Obama também reduziu a pena de um nacionalista de Porto Rico, Oscar Lopez Rivera, condenado a 55 anos de prisão. Mais: alegando que as punições eram excessivas para a gravidade dos crimes, perdoou um antigo jogador de basebol condenado por evasão fiscal, Willie McCovey, e o general James Cartwright, acusado por falsas declarações num processo por fuga de informação.

Entre outras curiosidades e etapas que marcaram a política de Obama surge um vídeo de Bo (9 de outubro de 2008), a mascote da família, que é um cão de água português, a passear na Casa Branca. Espreite aqui.

Artigos Relacionados: