Bem-vindos a bordo do “voo LIS017 com destino à Liderança”

Por: Ricardo Vieira

Fotos: Tema Central

 

No novo livro LIDERANÇA: para onde vamos a partir daqui?, os autores Anabela Chastre, coach e oradora motivacional, e Pedro Ramos, Diretor de Recursos Humanos (DRH) do Grupo TAP Air Portugal, levam o leitor numa viagem com destino à Liderança, focando nos pontos cruciais que marcam a atualidade das empresas globais e que fazem os líderes questionar o seu futuro.

A bordo estão “pessoas muito inspiradoras que vão oferecer-lhe testemunhos muito úteis para o seu dia-a-dia, seja o leitor um líder na gestão ou somente um apreciador do tema”, descreve Cristina Amaro, autora e editora do programa de televisão “Imagens de Marca”, no prefácio do livro.

 

O projeto surgiu na sequência da I Leadership Summit Lisbon, iniciativa que nos desafia a analisar a liderança numa perspetiva de futuro, diz Anabela Chastre. Desde o início, perceberam, como acrescenta Pedro Ramos, “que esta reflexão não se podia fazer apenas a dois”, era necessário “envolver fortes líderes na busca dos caminhos da liderança”.

Nesta viagem, planeada a quatro mãos, grandes empresários de Portugal – gestores de grandes empresas e organizações como é o caso da Delta Cafés, CIP, TAP, Jaba Recordati, Prosegur, Cisco e WeDo Technologies – respondem a “grandes perguntas sobre o tema da liderança”, dando cada um “a sua opinião fundamentada na sua relevante experiência”, conta a Coach, para quem “a disponibilidade, a humildade desses profissionais foi algo marcante. No contacto com estes líderes, acrescenta que estiveram “perante pessoas que independentemente de ocuparem lugares de destaque e de já terem dado muitas provas da sua capacidade de liderança (…) também eles mostraram ter dúvidas e preocupações sobre o futuro”. Uma dessas preocupações tem que ver com a revolução digital que, para o DRH do Grupo TAP Air Portugal, “está a afetar fortemente a forma de trabalhar, a produção propriamente dita, mas sobretudo as relações, que se alterarão dentro e fora das organizações”.

 

Uma das questões centrais deste livro prende-se, também, com o potencial e os perigos de um futuro próximo, que, em entrevista à Líder, Anabela Chastre e Pedro Ramos explicam.

“Haverá uma cada vez maior pressão para que as organizações se tornem mais competitivas, muito mais ágeis e rápidas a reagir e muitíssimo focadas nos clientes”, prevê o DRH, para quem está a chegar “um novo mundo marcado por uma extrema longevidade (na vida pessoal e na vida ativa profissional), por um incremento brutal a nível das “smart machines & systems” como forma de amplificação das capacidades humanas, um mundo onde quase tudo pode ser programado”. Apesar de rodeada de incertezas, para a Coach “podemos esperar que aconteçam coisas novas ou pelo menos diferentes na forma como as organizações trabalham hoje em dia e que poderão ser vantajosas se soubermos tirar partido delas”.

As competências de liderança serão, como mostram neste livro, cruciais para a adaptação a novas realidades e superação de novos desafios. Para Anabela Chastre, “serão determinantes para a liderança no futuro, em que tudo irá decorrer a uma grande velocidade. Para além disso, o líder terá de tocar as pessoas, conseguindo envolvê-las na sua visão e motivando-as a alcançar os melhores resultados”. Terão de ser autênticos “super-heróis”, diz Pedro Ramos, já que deverão ser capazes de: “assumir riscos com coragem”, “desenvolver um propósito e um plano de ação que cria valor para e com aqueles que o rodeiam”, “ser especialistas em determinados âmbitos de intervenção sem perder a visão global”, “ser capazes de enfrentar e desafiar os meios mais tradicionais”, “ser hábeis em se conectar com as pessoas e parceiros certos” e “de envolver e inspirer as suas equipas para a materialização de uma visão e para a concretização de uma missão”.

Artigos Relacionados: