Cinco mudanças no processamento salarial em 2022

Existem cinco mudanças tecnológicas significativas que marcarão a área do processamento salarial e RH em 2022 e que, de acordo com a Seresco, empresa tecnológica especializada em processamento salarial e RH, deverão ser tidas em conta pelas empresas, nas estratégias de retenção e pessoal, de poupança e rentabilidade:

  1. As empresas devem estar preparadas para efetuarem os pagamentos para além das suas próprias fronteiras, e para além da sua própria moeda. Ao mesmo tempo, as exigências salariais da empresa como um todo serão um alvo em constante movimento.
  2. Cada vez mais as empresas procuram formas de processamento salarial com impacto positivo nas experiências dos colaboradores. Entre os métodos de pagamento alternativos, estão as carteiras digitais, onde os utilizadores podem gerir o seu dinheiro e fazer pagamentos eletronicamente, da mesma forma que usam os sistemas Apple Pay e o Google Pay nas suas compras. E este é um método que está a ser implementado para entrega de pagamentos de salários em regiões mais remotas, como em África, onde os pagamentos móveis são muito mais convenientes para os colaboradores e os seus ordenados não ficam “retidos”.
  3. O Earned Wage Access é uma forma criativa e já implementada de oferecer aos colaboradores uma app de self-service onde podem receber o seu salário e depois retirar o que necessitam sempre que necessitam. E esta plataforma deverá ganhar visibilidade nas empresas que procuram maximizar a flexibilidade do processamento salarial.
  4. A digitalização, automatização e análise preditiva são algumas das inovações que já estão implementadas em muitas empresas, pelo processo que a própria transição digital obriga, e desempenharão um papel importante na racionalização dos processos salariais, reduzindo os erros humanos no processamento mensal de salários, e poupando tempo e recursos.
  5. A inovação tecnológica permitirá que os profissionais ligados à área de processamento salarial, em vez de apenas aconselharem o que é melhor do ponto de vista técnico, possam tornar-se conselheiros estratégicos; podem utilizar os dados e conhecimentos à sua disposição para influenciar os processos de tomada de decisão aos mais altos níveis de uma organização.

Artigos Relacionados: