Como será o regresso às viagens de negócio?

O regresso às viagens de negócio inicia-se lentamente, resta saber de que forma os líderes do setor esperam que os viajantes voltem aos aeroportos.

A Pandemia causou mudanças radicais em todos os setores, mas um dos mais afetados foi o das viagens de negócios. À medida que os escritórios reabrem e as conferências são programadas, voltam a surgir as viagens de avião, as reservas dos quartos de hotel e o aluguer de carros. De uma forma geral, as empresas do setor afirmam que as pessoas começam neste momento a falar do regresso às viagens de negócios de uma forma positiva. Nesse sentido, a publicação Fast Company apresentou recentemente o Business Travel 2021, com um painel de especialistas do setor de viagens que discutiu as novas ferramentas e melhores estratégias.

Comunicar riscos e garantir segurança

À medida que as viagens de trabalho voltam ao normal, os clientes esperam ter acesso a mais informações sobre os riscos. Embora os perigos como desastres naturais tendem a ser regionais, a Pandemia COVID-19 foi uma emergência global e perante a corrente de múltiplas informações que daí resultaram, o mais importante é colocar à disposição das pessoas, as mais recentes atualizações.

Se antes os viajantes estavam muito preocupados com a logística de reserva de voos, hotéis e aluguer de viaturas, agora esperam conhecer as regras e os riscos que os irão afetar no terreno – e que podem até mesmo afetar a sua decisão de reservar a viagem. Segundo os especialistas, trata-se de fornecer os cuidados, informações e conhecimento aos viajantes sobre todos os tipos de riscos potenciais, que vão muito para além da Pandemia. Quer sejam pandemias, desastres naturais ou ataques terroristas, os clientes precisam de se dirigir a um único local onde possam obter as informações necessárias e fazer a reserva da sua viagem.

Outro ponto crucial prende-se com a segurança, proteção e a confirmação de que nos locais para onde se dirigem, como, por exemplo, a estadia num Hotel, obedecem a todos os protocolos que estão em vigor. No entanto, apresenta-se como um desafio, garantir que essas informações cheguem aos clientes. Trabalhar com parceiros, como sites de reservas online, ajuda a fazer chegar a mensagem, comunicar os procedimentos de segurança da empresa e quais as exigências que se pedem aos clientes.

Tecnologia em primeiro lugar

Durante a Pandemia, as empresas procuraram formas de aumentar a segurança reduzindo o tempo gasto em interações físicas. Muitos aceleraram a mudança para soluções que privilegiaram os dispositivos móveis, encontrando maneiras criativas de usar essa tecnologia na melhoria da experiência e segurança do cliente.

A maioria admite que as experiências sem contacto estão a tornar-se cada vez mais importantes, e o avanço para um cenário digital, que tende a evoluir, deve ser agora acelerado. No futuro os hotéis poderão tirar proveito da tecnologia móvel para permitir que, por meio de uma aplicação, os hóspedes façam o check-in, destranquem portas e até encomendem o jantar para o momento em que chegam ao seu quarto. Embora os serviços voltados para o cliente, como o concierge, irão permanecer, a tecnologia móvel dá a opção de passar pela receção e ir direto para o quarto.

Flexibilidade e confiança

É esperado que as políticas corporativas mudem de várias maneiras ao longo do tempo. No passado, proibiam frequentemente a reserva de bilhetes de avião ou tarifas de hotéis não reembolsáveis, porque as viagens de negócios têm alterações de última hora. Hoje, a possibilidade de alterar as reservas será provavelmente ainda mais importante para quem viaja em trabalho. Em resultado disso, as empresas podem procurar parceiros que, de maneira confiável, atendam a essas necessidades tornando a flexibilidade e confiança nas duas palavras-chave do momento.

A consistência da experiência será também crítica. Uma vez que a adesão a ferramentas de videoconferência durante a Pandemia deu aos trabalhadores uma alternativa para os aborrecimentos das viagens, as empresas e operadores do setor devem continuar a manter os seus clientes felizes e garantir que tenham experiências excecionais.

 

Artigos Relacionados: