COVID-19: Últimas notícias sobre o progresso da vacina e do tratamento

O World Economic Forum fez um apanhado das últimas notícias científicas sobre o desenvolvimento da vacina e do tratamento para a COVID-19.

A vacina candidata protege macacos da infeção numa única injeção

Os macacos que receberam uma vacina experimental para a COVID-19 produziram uma resposta imunológica após uma única injeção, de acordo com um estudo publicado na revista Nature. Investigadores da Jannsen Vaccines and Prevention em Leiden, Holanda, e do Beth Israel Deaconess Medical Center em Boston, Massachusetts, deram a 32 macacos rhesus uma dose única de uma das sete versões diferentes da vacina candidata e 20 deles uma dose de placebo.

A vacina usa um vírus da gripe comum, chamado adenovírus sorotipo 26 (Ad26), para entregar a proteína spike SARS-CoV-2 nas células hospedeiras, onde estimula uma resposta imune contra o SARS-CoV-2- o vírus que causa o COVID-19.

Seis semanas após a vacinação, todos os animais foram expostos ao SARS-CoV-2. Ao todo, os 20 animais que receberam a dose de placebo foram infetados. A melhor vacina preveniu a infeção pulmonar em todos os seis animais que a receberam e preveniu a infeção nasal em cinco em cada seis.

“A imunização de uma única dose tem vantagens práticas e logísticas em relação a um regime de duas doses para implantação global e controle da pandemia, mas uma vacina de duas doses provavelmente será mais imunogénica e, portanto, ambos os regimes estão a ser avaliados em ensaios clínicos. Estamos ansiosos pelos resultados dos ensaios clínicos que irão determinar a segurança e imunogenicidade e, em última instância, a eficácia da vacina Ad26.COV2.S em humanos ”, disse Dan Barouch, que liderou a equipa.

A vacina está a caminho de começar os testes de Fase III em setembro, que envolverá cerca de 30.000 participantes e fará testes de eficácia e segurança. De mais de 135 vacinas candidatas em preparação, a última será a sétima a entrar nos testes de Fase III.

A reação imunológica a algumas gripes comuns pode fornecer proteção contra a COVID-19

Um estudo publicado na Science descobriu que algumas células imunológicas capazes de reconhecer os coronavírus que causam a gripe comum também podem responder ao SARS-CoV-2- o vírus responsável pelo COVID-19.

A equipa, baseada no La Jolla Institute for Immunology, Califórnia, analisou células imunológicas chamadas células T de memória e descobriu que reconhecem partes específicas de várias proteínas SARS-CoV-2. Os cientistas identificaram sequências semelhantes no coronavírus responsáveis ​​pela gripe comum e mostraram que essas sequências poderiam ativar as células T que também respondem ao SARS-CoV-2.

Artigos Relacionados: