Davos 2021: Cimeira virtual pede compromisso a 1200 líderes

O evento anual do World Economic Forum, que está a decorrer esta semana, terminando na sexta-feira dia 29 de janeiro, reúne os líderes que estão na vanguarda da resposta mundial à pandemia do coronavírus e à crise económica que a acompanha. O objetivo é desenvolver soluções prospetivas e sustentáveis para um mundo pós-COVID.  Pode seguir as apresentações aqui.

Desde segunda-feira, 25 de janeiro, que mais de 1200 líderes de empresas, governo e sociedade civil de 60 países estão reunidos virtualmente em Davos. A cimeira tem ainda prevista uma reunião presencial em Singapura de 13 a 16 de maio.

“Um Ano Crucial para Reconstruir a Confiança” é o tema deste ano e as sessões estão centradas em questões críticas como os programas de vacinação COVID-19, a criação de emprego e as alterações climáticas.

O conceito de confiança da sociedade nunca foi tão oportuno. Klaus Schwab, Fundador e Presidente Executivo do World Economic Forum, acredita que a necessidade de redefinir as prioridades e a urgência de reformar os sistemas têm vindo a fortalecer-se em todo o mundo em resultado da pandemia. “A reconstrução da confiança e o aumento da cooperação global são cruciais para promover soluções inovadoras e ousadas para travar a pandemia e conduzir a uma recuperação robusta.”

Para Schwab, a edição deste ano de Davos “será uma oportunidade para os líderes delinearem a sua visão e abordarem as questões mais importantes do nosso tempo, tais como a necessidade de acelerar a criação de empregos e de proteger o ambiente.”

Compromisso Davos 2021

O programa de cinco dias pretende culminar num compromisso da parte dos participantes na criação de impacto real através de políticas concretas e prospetivas em 2021, como conceber sistemas económicos coesivos, sustentáveis e resilientes; impulsionar a transformação e o crescimento responsável da indústria; reforçar a gestão dos bens comuns mundiais; aproveitar as tecnologias da Quarta Revolução Industrial; e avançar a cooperação global e regional.

O momento está a ser usado também para lançar várias novas iniciativas: acelerar a corrida para as emissões net-zero, defender novos padrões de justiça social e colmatar o fosso digital.

Participantes principais

A participar nas discussões estão chefes de Estado e de Governo incluindo Narendra Modi, Primeiro-Ministro da Índia; Emmanuel Macron, Presidente de França; Angela Merkel, Chanceler Federal da Alemanha; Ursula von der Leyen, Presidente da Comissão Europeia; e Xi Jinping, Presidente da República Popular da China. Estão, ainda, agendadas intervenções dos primeiro-ministros de Itália, Israel e Singapura e do presidente da Argentina.

A estes juntam-se líderes de organizações internacionais, incluindo António Guterres, Secretário-Geral das Nações Unidas; Tedros Adhanom Ghebreyesus, Diretor-Geral da Organização Mundial de Saúde; Kristalina Georgieva, Diretora-Geral do Fundo Monetário Internacional; Anthony Fauci, Diretor do Instituto Nacional Americano de Alergias e Doenças Infeciosas, Institutos Nacionais de Saúde; e Christine Lagarde, Presidente do Banco Central Europeu.

Artigos Relacionados: