Enfrentar a Pandemia Económica, na sua melhor performance!

O que se avizinha é um grande embate económico. Todos nós temos de estar na nossa melhor forma. E os líderes mais ainda, por lhes caberem as decisões mais difíceis, quando o futuro é incerto.

A semelhança com os atletas olímpicos é enorme. A grande prova consiste em estabilizar as operações enquanto lideram as transformações que irão manter ou aumentar a relevância das suas organizações, focando um alvo em movimento, que é o mercado neste momento. O estado de fluxo que leva os atletas de alto desempenho a focar, intuir e mobilizar todas as suas capacidades e talento é conseguido mais rapidamente quando estão em coaching executivo.

Esse estado de inspiração, de mobilização de recursos e potencial para alcançar metas, é o foco do coaching executivo individual. Num primeiro momento trata-se de gerir o estado emocional – tal como o atleta que se prepara para a grande prova. A seguir em identificar as perguntas chave para as quais quer encontrar respostas. Abrir dentro de si este vazio é a forma mais rápida de encontrar as respostas. É a coragem de suportar o desconforto do “não saber” que ativa o potencial criativo e faz emergir as respostas às perguntas que certeiramente formulou. A tensão criativa e descoberta lúcida que este processo ativa, coloca o líder em níveis de consciência mais elevados, focados e geradores de ação. Neste contexto de elevada pressão e incerteza, os líderes em coaching estão mais focados, lúcidos e num estado de tranquilidade em tensão que aumenta exponencialmente a qualidade das decisões e a clareza sobre o que precisam de fazer.

É preciso replicar esta dinâmica na equipa de gestão de topo, enquanto tal. O team coaching nesta altura é fundamental para ter inteligência partilhada da situação, aferir impactos para os stakeholders, ter visão sistémica e clareza sobre o propósito e potencial valor da organização no futuro.

O desafio é enorme em todos os setores: os que estão a ter maior procura, os que mantiveram as operações e os que precisam de se reinventar. Neste espaço, a partilha, o alinhamento e a co-construção são acelerados e produzem outputs de elevada qualidade. A inteligência coletiva da comissão executiva ou equipa alargada de gestão é ativada, com impacto direto na forma de gerir, nas decisões de curto prazo e de futuro, no desenho de planos de ação imediatamente acionáveis.

O coaching executivo individual e o team coaching funcionam como aceleradores e exponenciadores para comissões executivas e equipas de gestão alargada. Para os restantes níveis de liderança, o group coaching, a par com o coaching executivo individual, são as abordagens mais indicadas.

O group coaching promove a colaboração e interajuda, que vence a distância que o confinamento. Neste formato de pequenos grupos (máximo 6 participantes por grupo),
o processo e competências de coaching são usados para promover a partilha de dificuldades e desafios, a descoberta de soluções e partilha de aprendizagens. Para além dos resultados diretos, há o benefício indireto de aumentar a proximidade e a comunicação, que já eram muito valorizados pelas empresas.

Se o coaching executivo tinha já dado provas de ser um investimento de elevado retorno, em contexto de “normalidade”, no atual contexto de transformação acelerada
pode fazer ainda mais a diferença.

E não restem dúvidas de que todos temos de estar no nosso melhor, para gerir o que aí vem!

 


Por Aida Chamiça, AUTORA do Livro Break Heaven, Coach de Executivos (MCC pela ICF) e Coach Supervisor

Artigos Relacionados: