Já são conhecidos os sete vencedores dos prémios Women in Tech

A terceira edição do Women in Tech Global Awards aconteceu numa cerimónia com formato online, em parceria com a BGI – Building Global Innovators, e com o alto patrocínio de Rosa Monteiro, Secretária de Estado para a Cidadania e Igualdade.

A celebração enalteceu e atribuiu prémios de mérito a mulheres que se destacaram globalmente na promoção da igualdade de oportunidades, da diversidade e inclusão, principalmente de género – no sector da Tecnologia.

Este ano, uma das cinco finalistas na categoria Global Leadership Woman in Tech Award foi Elvira Fortunato, professora e investigadora no Departamento de Ciência dos Materiais da FCT NOVA. Mas a vencedora foi Gulser Corat, directora da UNESCO.

As nomeações foram abertas ao público globalmente e votadas por um júri diverso, multinacional e multicultural, como o Professor Carlos Moreno, Diretor Científico ETI, Sorbonne Business School em Paris; Alba San Martin, Senior Director da Cisco Systems para a América Latina; Fleur Hassan-Nahoum, vice-Presidente de Jerusalém para Relações Exteriores, Desenvolvimento Económico e Turismo; e Clara Gonçalves, ex-Diretora Executiva da UPTEC – Parque de Ciência e Tecnologia da Universidade do Porto.

Em direto de Paris, a cerimónia começou com a transmissão da versão curta-metragem do documentário “Como ela faz?” que este ano conquistou o prémio de melhor curta-metragem estrangeira no concurso Hollywood Women’s International Film Festival 2020.

A partir da história de 12 mulheres brasileiras, o documentário traz um olhar abrangente sobre a inserção e as oportunidades conferidas às mulheres no mercado de trabalho. Apesar de ocuparem diferentes profissões e funções na sociedade, elas lidam diariamente com a desigualdade de género quando o assunto é mercado de trabalho.

Vista Alegre e Nuno Matos Cabral criam o troféu

A fábrica da Vista Alegre associou-se à Women in Tech para criar, em conjunto com o designer Nuno Matos Cabral, o prémio de mérito, #ODE 2.0 by Nuno Matos Cabral. Nuno Matos Cabral explica o galardão: “no centro da peça temos um rosto de uma mulher anónima, independentemente da etnia, cultura ou credo, que dedica a sua vida à tecnologia, representada pelos circuitos que preenchem a peça. Os cinco circuitos impressos no perfil da mulher representam os cinco sentidos. A mulher utiliza os cinco sentidos no desenvolvimento dos seus projetos tecnológicos.”

A Women in Tech é uma organização internacional sem fins lucrativos com a dupla missão de combater o gap de género e ajudar as mulheres a apaixonarem-se pela Tecnologia. Possui 15 capítulos oficiais em 15 países, e membros em mais de 100 países do mundo.

A Women in Tech em Portugal tem desenvolvido várias iniciativas, como o Founder Institute em Portugal que oferece a bolsa Women in Tech a uma mulher da comunidade em Portugal, e o programa “Engenheiras por um dia” em parceria com a Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género.

Sete Vencedores:


Prémio Conquista de Uma Vida

Silvina Moschini, co-Fundadora e Presidente da TransparentBusiness

Argentina

Silvina Moschini é uma empreendedora em série centrada na Economia. É fundadora e Presidente da TransparentBusiness, uma plataforma baseada na nuvem que gere com transparência equipas remotas, e a CEO e fundadora da SheWorks!, um mercado para contratar mulheres profissionais com modelos flexíveis.

No início de outubro, a TransparentBusiness tornou-se um unicórnio após ter sido avaliada em mais de mil milhões de euros. Faz parte da agenda dos colaboradores do Fórum Económico Mundial e em 2019 recebeu o prémio Equals in Tech, a iniciativa das Nações Unidas que reconhece as iniciativas tecnológicas que têm impacto nos objetivos de desenvolvimento sustentável.


Prémio Liderança Global

Gulser Corat, Diretora da UNESCO

França

Gülser Corat foi Diretora para a Igualdade de Género na UNESCO de setembro de 2004 a agosto de 2020. É autora do estudo “I’d Blush if I Could: Closing Gender Divides in Digital Skills in Education”, de 2019, revelando um preconceito generalizado de género nas ferramentas de inteligência artificial mais populares para consumidores e empresas.

O relatório desencadeou uma conversa global com o sector tecnológico, culminando num discurso de abertura da Web Summit de 2019 em Lisboa. O relatório e o discurso levaram Gülser a ser entrevistada por mais de 600 meios de comunicação social em todo o mundo, incluindo a BBC, CNN, CBS, ABC, NYT, The Guardian, Forbes e Time. A Sociedade do Futuro Digital nomeou Gülser como uma das dez principais mulheres líderes em Tecnologia para 2020.


Prémio Mulher Mais Disruptiva

Kira Radinsky, chairwoman and CTO da Diagnostic Robotics

Israel

Kira Radinsky é a Presidente e CTO da Diagnostic Robotics, empresa que aproveita as tecnologias mais avançadas no campo da inteligência artificial para melhorar os cuidados de saúde e torná-los mais baratos e acessíveis. No passado, co-fundou a SalesPredict, adquirida pela eBay em 2016, e foi Diretora de Ciência de Dados da eBay e Cientista Chefe da IL.

Especializou-se principalmente no campo da mineração de dados médicos e teve a oportunidade, enquanto esteve na Microsoft Research, de desenvolver algoritmos de previsão para reconhecer sinais de alerta de eventos de impacto global, incluindo motins políticos e epidemias.

É professora visitante no Technion, Instituto de Tecnologia de Israel, onde está a supervisionar academicamente e a fazer crescer novos investigadores. Kira também faz parte do conselho consultivo de Tecnologia do banco HSBC e do conselho do Maccabi Health Data Science Institute.


Prémio Aliado

Stephen Frost, CEO da Frost Included Ltd.

Reino Unido

Stephen é um especialista reconhecido mundialmente em Diversidade, Inclusão e Liderança, e fundou a Frost Included, em 2012. Trabalha com clientes para incorporar a liderança inclusiva nas suas decisões. Trabalhou na KPMG como Chefe da Diversidade e Inclusão entre 2014-2015.

De 2007-2012 Stephen concebeu, liderou e implementou os programas de inclusão para os Jogos Olímpicos e Paraolímpicos de Londres como Chefe da Diversidade e Inclusão para o Comité Organizador de Londres (LOCOG).

Foi eleito vencedor do Prémio Peter Robertson 2010 para Campeões da Igualdade e Diversidade, nomeado Jovem Líder Global 2011 pelo Fórum Económico Mundial e recentemente eleito um dos 100 LGBT mais influentes do Reino Unido.


Prémio Adolescente

Avye Couloute, fundadora da Girls Into Coding (GIC)

Reino Unido

Avye tem 13 anos e está consciente do desequilíbrio de género na educação e trabalha para criar oportunidades técnicas para os jovens. Depois de observar que a maioria dos participantes nos seus workshops eram rapazes, decidiu levar mais raparigas para área Tecnológica.

Há 2,5 anos fundou o Girls Into Coding (GIC), um programa de eventos gratuitos onde as raparigas dos 10 aos 14 anos têm a oportunidade de explorar a codificação, computação física e robótica. A sua missão é envolver pelo menos 1000 raparigas por ano em workshops, incluindo codificação, computação física, impressão 3D e robótica. Durante a COVID-19 lançou uma versão virtual do GIC

 


Prémio Startup

Dora Palfi, co-fundadora & CEO da imagiLabs

Suécia

À medida que a sua empresa/brainchild imagiLabs cresce, mais raparigas e crianças entram na área da codificação. Dora Palfi e as suas co-fundadoras passaram mais de três anos a desenvolver uma comunidade digital e o imagiCharm para assegurarem que as raparigas olham para a tecnologia como social, tangível, e ilimitada no seu potencial.

A imagiLabs promove a diversidade não só através das suas ofertas, mas também por gerir uma equipa global e diversificada – homens e mulheres que representam mais de uma dúzia de culturas. Dora continua a ser uma líder exemplar pela sua devoção à educação das raparigas e à expansão de oportunidades.

 


Prémio Iniciativa Com Impacto

Academia Soronko

Gana

A Academia Soronko é o principal centro de desenvolvimento de tecnologia e competências digitais em África para que os jovens, especialmente as mulheres e raparigas, realizem o seu potencial económico.

Através do seu amplo alcance geográfico e conjunto de parcerias públicas e privadas, a Academia Soronko cultiva a próxima geração de mulheres inovadoras para criar soluções que abordam os problemas mais prementes da sua comunidade.

A fundadora, Regina Honu, é uma empreendedora social ganesa que criou a primeira escola de código e design centrada no ser humano para crianças e jovens adultos na África Ocidental. Regina foi nomeada pela CNN como uma das 12 mulheres inspiradoras. Foi também nomeada como uma das seis mulheres que causam impacto na Tech em África e uma das dez mulheres empresárias a observar nas economias emergentes.

Numa entrevista com o African Start-Up da CNN é descrita como uma guru da Tecnologia ganesa que quer desenvolver a próxima geração de mulheres na Tecnologia. A história de Regina foi também publicada no livro Lean In de Sheryl Sandberg.

Artigos Relacionados: