José Luís Carvalho: «Proporcionámos de imediato zonas de descanso, carrinhos de alimentação e proteção»

Desde a primeira hora desta pandemia em Portugal que a CUF muniu-se dos instrumentos necessários para cumprir dois objectivos: a segurança dos seus colaboradores e dos seus clientes.

O director de Recursos Humanos da José de Mello Saúde explica à Líder que a primeira preocupação foi enviar todos os colaboradores passíveis de teletrabalho para casa.  «Numa primeira fase tivemos grande preocupação com os nossos colaboradores dos hospitais, proporcionando de imediato zonas de descanso, carrinhos de alimentação e bebidas, lugares de estacionamento e todos os equipamentos de proteção necessários», recorda os primeiros passos. E a CUF foi rápida a atuar, ao ponto de logo nos meses de março e abril ter lançado programas de proteção aos colaboradores, inclusive para todos aqueles que trabalham em regime de parceria de prestação de serviços. Actualmente, é feito um ponto de situação de dois em dois dias com a equipa, onde existe uma grande preocupação em partilhar e ouvir.

José Luís Carvalho ingressou na José de Melo Saúde (JMS) em Setembro de 2018, altura em que assumiu pela primeira vez uma direcção de Recursos Humanos. Hoje tem a seu cargo a gestão da rede de cuidados de saúde privada CUF e duas parcerias público-privadas. Licenciado em Gestão de Empresas, iniciou carreira em 1995, no Banco Mello, na banca de empresas, passando depois pelas áreas de Cartões e de Serviços Partilhados. Antes da JMS, assumiu durante sete anos as funções de administrador do Hospital de Braga, a maior parceria público-privada na Saúde em Portugal.

No Dia Internacional dos Recursos Humanos [20 de maio] iniciamos a publicação dos Leading People sobre saúde mental. Colocámos a pergunta: como está a motivar e a assegurar a saúde psicológica dos colaboradores? a sete diretores de Gestão de Pessoas, ainda em pleno estado de emergência e antes do anúncio das medidas de desconfinamento. José Luís Carvalho respondeu:

«Desde a primeira hora desta pandemia em Portugal que a CUF teve dois grandes objectivos: a segurança dos seus colaboradores e dos seus clientes. A nossa primeira preocupação foi enviar todos os colaboradores passíveis de teletrabalho para casa. Numa primeira fase tivemos grande preocupação com os nossos colaboradores dos hospitais, proporcionando de imediato zonas de descanso, carrinhos de alimentação e bebidas, lugares de estacionamento e todos os equipamentos de proteção necessários. Lançámos depois um programa transversal de proteção aos nossos colaboradores para os meses de março e abril inclusive para todos aqueles que trabalham connosco em regime de parceria, de prestação de serviços. Instituímos boletins informativos diários para todos com as decisões e alterações, e implementámos uma área de formação dedicada ao teletrabalho. Actualmente, um ponto de situação de dois em dois dias com equipa onde existe uma grande preocupação em partilhar e ouvir nesta altura de VUCA elevado a 3!»

[Aceda aqui ao artigo completo]

Artigos Relacionados: