Liderança ativa em tempos de alta pressão (e incerteza)

A inesperada chegada da COVID-19, colocou-nos perante um cenário que mudou de imediato os nossos planos, as nossas metas, e inclusive os nossos hábitos pessoais, familiares e profissionais. Hoje vivemos momentos de muita incerteza que geram sentimentos de medo, tristeza, cansaço, stress, inquietação, entre outros. A adaptação à “nova normalidade” exige consciência, envolvimento, motivação e compromisso.

Neste contexto, o papel do líder deve marcar a diferença. O desafio é grande, mas o protagonismo do líder é essencial para demonstrar que está preparado e à altura dos novos desafios. Para muitos especialistas este é chamado “o momento da verdade”. O momento em que a responsabilidade e a confiança são cruciais para “surfar” esta onda gigante da incerteza. Este é o momento de reagir rápido, tomar decisões acertadas, sob muita pressão, e sobretudo, o momento de saber gerir as emoções.

Para superar os desafios atuais as organizações necessitam de líderes proativos, criativos e empáticos, que possam assumir o compromisso de manter a equipa unida e motivada, apesar da “distância física”. É fundamental ter as equipas alinhadas, concentrando-se na rentabilidade e em novas formas de fazer as coisas, fundamentais para enfrentar um “novo ecossistema” de desafios e oportunidades. Hoje, mais do que nunca, os líderes devem estar ao lado da equipa, zelar pelo seu bem-estar e preocuparem-se com a reputação da organização.

Be the change, you want to see in the world, MahatmaGandhi, líder pacifista indiano, deixou-nos, entre muitos outros ensinamentos, a liderança pelo exemplo, e os valores da disciplina e da verdade, tão importantes no momento que vivemos. Hoje, mais do que nunca, necessitamos das boas práticas, reflexões, ideias e lições aprendidas de líderes que enfrentam ou enfrentaram o complexo desafio de gerir situações tão difíceis, dando sempre o melhor de si. Mas este é também o momento de todos colaborarmos, de percebermos qual o nosso papel na sociedade, e de entendermos o verdadeiro significado de “estar à altura das circunstâncias” e de um projeto comum. É tempo de parar para crescer.


Por Ana Margarida Ximenes, presidente da ATREVIA

Artigos Relacionados: