“Lockdown is not Slowdown” é a mensagem da L’Oréal

Desde o primeiro momento do confinamento que a L’Oréal chamou a si duas grandes “obsessões” que garantiram um espírito de guerreiros: segurança das pessoas e continuidade do negócio, com uma mensagem forte e constante de que “Lockdown is not Slowdown”.


Clara Trindade, a diretora de Recursos Humanos da L’Oréal Portugal, explica como continuam a construir a L’Oréal do futuro, «uma empresa de alta performance, responsável e inclusiva – onde colaboradores altamente comprometidos, empoderados e seguros, irão sempre apontar para as estrelas!». E é a apontar para as estrelas e com uma visão no futuro, e neste mundo de incerteza, que Clara partilha com a Líder as quatro atitudes estratégicas que reforçam a cultura da gigante da beleza.

O ambiente que se vive na L’Oréal Portugal é informal, frenético e divertido, já o era muito antes da pandemia e mantém-se agora em regime de trabalho híbrido (teletrabalho e presencial). Clara assumiu os comandos da área de Recursos Humanos há precisamente quatro anos, depois de nove no Brasil, e desde o primeiro momento que se assume uma “L’Orealiana” e tem bem claro o rumo a tomar. Portugal é já um hub de talento para o grupo e a área de Recursos Humanos dá-se a conhecer como muito moderna, tanto na forma como identifica e anima o talento, como gere a diversidade e trata o digital.

Clara está bem atenta ao papel que cada um dos colaboradores pode assumir nesta fase: «Tudo o que fazemos pode ter impacto. Todos nós – marketeers, comerciais, financeiros ou simplesmente pessoas que não têm mãos a medir – podemos assumir um papel fundamental nas pessoas à nossa volta e na comunidade, especialmente em períodos como este!»

Por isso é a própria que o diz com convicção: «É crítico que as equipas sejam capazes de “test and learn”, aprender, reaprender e desaprender – todos os dias. E quanto mais fortes estivermos mental e fisicamente, maior a capacidade de enfrentarmos circunstâncias adversas.»

Colocámos a pergunta: Que tipo de cultura faz sentido assumir no “novo normal”? a alguns diretores de Pessoas, Clara Trindade aceitou o desafio:

«Na L’Oréal, mantivemos desde o primeiro dia duas grandes “obsessões” que garantiram um espírito de guerreiros: segurança das pessoas e continuidade do negócio, com uma mensagem forte e constante de que “Lockdown is not Slowdown”. Com uma visão no futuro, e neste mundo de incerteza, diria que há quatro elementos estratégicos/ atitudes que continuaremos a reforçar na nossa cultura:

Liderança alinhada, clara e próxima. Fundamental para garantir uma só visão. Uma liderança empática, que procura entender o contexto e situação, que está próxima, confia e dá empowerment, ao invés de gerir pelo controlo. Flexibilidade para a máxima produtividade. E para a atração e retenção de talentos.

O novo mindset é reinventar para vencer. É crítico que as equipas sejam capazes de “test and learn”, aprender, reaprender e desaprender – todos os dias. E quanto mais fortes estivermos mental e fisicamente, maior a capacidade de enfrentarmos circunstâncias adversas.

Os melhores insights e storytelling para conquistar o nosso cliente. Usar a informação disponível (data!) com velocidade e agilidade para agarrar novas oportunidades de negócio e conquistar a confiança de clientes que estarão prontos para novas histórias!

Tudo o que fazemos pode ter impacto. Todos nós – marketeers, comerciais, financeiros ou simplesmente pessoas que não têm mãos a medir – podemos assumir um papel fundamental nas pessoas à nossa volta e na comunidade, especialmente em períodos como este! Na base acredito num forte propósito para continuarmos a construir a L’Oréal do futuro, uma empresa de alta performance, responsável e inclusiva – onde colaboradores altamente comprometidos, empoderados e seguros, irão sempre apontar para as estrelas!»

Artigos Relacionados: