Novartis cria fundo global de 20 milhões de dólares para apoiar as comunidades afetadas

O Novartis COVID-19 Response Fund vai disponibilizar 20 milhões de dólares em apoios a iniciativas de saúde pública, para ajudar as comunidades a enfrentar os desafios colocados pelo novo Coronavírus.

“Estamos a lidar com uma crise de saúde pública extraordinária e sem precedentes, que exige um enorme envolvimento e colaboração entre os governos, a sociedade e as empresas. Reconhecendo o poder de trabalharmos em equipa enquanto indústria, disponibilizamos o talento e a capacidade das nossas equipas de Investigação e Desenvolvimento (I&D), integrando duas importantes iniciativas colaborativas”, afirma Vas Narasimhan, CEO da Novartis.

A farmacêutica presente em mais de 140 países instituiu um processo de revisão global que irá permitir a rápida aprovação e disponibilização de apoios individuais até um milhão de dólares. O fundo está aberto para receber pedidos de apoio, que serão concedidos pelas filiais da Novartis nos diferentes países. “O fundo pretende apoiar iniciativas focadas em três áreas: reforçar infraestruturas de saúde locais e nacionais, incluindo o financiamento de mais pessoal médico, medicamentos e equipamentos médicos; estabelecer plataformas digitais para a recolha de dados relacionados com a COVID-19, prestação de assistência médica remotamente e disseminação eficaz de informação relevante sobre saúde pública; e criar ou reforçar programas de saúde comunitária específicos para dar resposta à pandemia”, explica fonte oficial da empresa.

A Novartis juntou-se também a novos esforços de investigação colaborativa, como a COVID-19 Therapeutics Accelerator, coordenado pela Fundação Bill & Melinda Gates, Wellcome e Mastercard, assim como a uma parceria direcionada à COVID-19 organizada pela Innovative Medicines Initiative. Ambas as colaborações intersetoriais juntam várias companhias farmacêuticas e instituições académicas especializadas em programas coordenados de investigação, com o objetivo de desenvolver moléculas mais promissoras rapidamente, sem barreiras organizacionais.

Além disso, em resposta a um pedido urgente de I&D para o Coronavírus, emitido pela European Federation of Pharmaceutical Industries and Associations (EFPIA), a Novartis está a colaborar através da disponibilização de vários compostos considerados adequados para testes anti-virais in vitro. E está ainda a avaliar os produtos existentes para verificar se algum deles pode ser utilizado em resposta à pandemia.

A principal preocupação da Novartis tem sido a saúde e a segurança dos colaboradores e doentes em todo o mundo. A empresa continua a fazer chegar os seus medicamentos a doentes e prestadores de cuidados de saúde em todo o mundo e não antecipa, de momento, ruturas na cadeia de abastecimento, devido às fortes medidas de mitigação e ao stock disponível. A empresa também ativou planos de mitigação para garantir o abastecimento contínuo de medicamentos e o bom funcionamento dos seus mais de 500 ensaios clínicos. Como parte integrante do seu esforço na proteção da saúde das suas equipas, desde 16 de março de 2020, todos os colaboradores da Novartis na Europa, EUA e Canadá trabalham a partir de casa, com exceção dos que trabalham em laboratórios, fábricas e no terreno. Em Portugal todos os colaboradores do Grupo Novartis estão a trabalhar remotamente.

Artigos Relacionados: