Novos tempos, novas tendências, novas oportunidades, encerrar capítulos e renascer das cinzas

Ficar em casa? Escolas fechadas? Filhos em casa? Empresas encerradas? Ruas vazias… Para muitos, realidades de fácil adaptação, para outros, nem tanto!

“Eu também não queria aceitar esse facto, mas agora percebo que o velho queijo nunca reaparecerá. Esse foi o queijo de ontem. Agora há que procurar o novo queijo.” (Quem mexeu no meu queijo – Spencer Johnson)

Sentimo-nos frágeis, pequenos, com medo. Somos forçados a uma nova realidade de meros humanos que vivenciamos uma situação que não prevemos e que não conseguimos controlar. Somos brutalmente acordados para um novo mundo, uma nova realidade que impõe adaptação e mudança de hábitos. Somos obrigados a reinventar-nos! Mas como?

Cada um como peão social deste mundo, que contribui para o amanhã, apercebe-se que os seus hábitos sociais e laborais têm de ser redesenhados, têm de ser mudados, adaptados. As organizações passam por um processo idêntico, em que tentam redesenhar processos, metodologias de trabalho, para continuarem com a sua área de atividade e sobreviverem.

Não viram também Hem, Haw, Sniff e Scurry que a vida é cheia de sobressaltos e adversidades? Será a forma como cada um de nós a encara que fará a diferença no final? Podemos ser como o Sniff e Scurry que rapidamente aceitaram que o ontem já não é igual ao hoje, tendo-se adaptado ao novo mundo, às novas circunstâncias laborais e pessoais, ou como Haw que demorou algum tempo no seu processo de adaptação, tendo levado o seu tempo para se readaptar, ou podemos ainda ser como Hem que não aceita uma nova realidade, não altera os seus hábitos. Qual destas a melhor abordagem? Qual a mais benéfica? Por que labirinto vou procurar o meu queijo? Qual me permite sobreviver?

Em analogia, os labirintos representam os momentos difíceis das nossas vidas, como este que passamos, em que uma escolha boa se traduz em seguir em frente e uma escolha má em mais obstáculos, que neste caso podem ser fatais. Acredito que estes tempos irão desenhar novas tendências, novas oportunidades, encerrar capítulos e iremos ser como a Fénix e renascer das cinzas.

Na Seresco, hoje, fomos mais além e, ativamente, a nossa equipa de Inteligência Artificial e Ciência de Dados está a colaborar com o Open Research Dataset Challenge (CORD-19). O conjunto de dados CORD-19 representa a maior coleção de literatura sobre Coronavírus disponível até ao momento.

Na Seresco, em Portugal e fora, adaptamo-nos e seguimos um dos caminhos… estamos restringidos em espaço, mas ativos na nuvem, com os nossos sistemas de cibersegurança ativos, a ajudar os nossos clientes, garantindo as necessidades dos seus colaboradores a nível de recursos humanos e a colaborar globalmente para um propósito comum.

Que todos, empresas e colaboradores, sejam conscientes para que possamos escrever o fim deste capítulo em conjunto! Cuidem-se, sigam as restrições impostas para bem de todos!
#euficoemcasa

Por: Rita Mourinha, responsável da Seresco em Portugal

Artigos Relacionados: