«O País não pode esperar. A segurança de todos depende da responsabilidade empresarial», apela Ricardo Parreira

A PHC Software acaba de anunciar que regressou ao modelo de teletrabalho para preservar a segurança dos colaboradores no contexto do aumento de casos de COVID-19 por todo o País, enquanto mantém a atividade da empresa.

Esta decisão vem acompanhada de um apelo para que todo o tecido empresarial português tome medidas rápidas perante o aumento de número de casos. A multinacional portuguesa especialista em software de gestão entende que a sociedade portuguesa tem de se mobilizar proactivamente em volta do combate à COVID-19 e à crise económica, tomando as medidas que estiverem ao seu alcance para proteger as pessoas sem parar o País.

“Não podemos estar à espera de que outros decidam o rumo das coisas. Estar seguro depende de nós e das nossas ações. É por isso que tomámos a decisão de voltar ao teletrabalho, e fazemos este apelo às empresas portuguesas: tomem medidas e façam tudo o que esteja ao vosso alcance para vencermos estas duas batalhas, contra o vírus e contra a crise económica”, refere Ricardo Parreira, CEO da PHC Software.

Após quase seis meses em teletrabalho, a PHC anunciou, em setembro, o regresso ao escritório num modelo híbrido. Mas hoje mudou de opinião devido ao contexto pandémico e situação que o País atravessa. “É verdade que existem sectores, como alguma indústria e a construção, que não podem adotar esta medida, mas quem pode deve ter a responsabilidade de o fazer. Hoje, temos todas as condições tecnológicas para que a maioria das empresas se mantenham funcionais em teletrabalho”, afirma Ricardo Parreira.

A PHC Software regressa assim ao modo de trabalho remoto até ao final de novembro e deixa o regresso ao escritório para outra altura, dependendo da evolução da situação.

@CatarinaPiresClementine

Artigos Relacionados: