O parceiro ideal para apoiar as empresas

A Sage tem do seu lado a tecnologia, mas também os conhecimentos para ser o parceiro ideal para apoiar as empresas no processo de digitalização. As empresas estão a munir-se ou a desenvolver Software de Gestão de ponta para fazer frente aos tempos que vivemos.

Em entrevista, Josep María Raventós, Country Manager da Sage Portugal, explica à Líder como está a trabalhar para evoluir a oferta de soluções Cloud, sobretudo para PME.

Quais são as novidades que a Sage está a preparar este ano?

Vários estudos demonstram que a apetência das empresas para soluções baseadas na Cloud aumentou fortemente durante a pandemia, mas aumentaram também os riscos de segurança. Por outro lado, uma das limitações frequentemente apontada às soluções Cloud é a curta margem para personalização, implicando a adoção de processos e definições standardizados por parte do cliente. Por esse motivo, na Sage estamos a trabalhar para evoluir a nossa oferta de soluções Cloud, sobretudo para médias empresas, com o Sage X3. Queremos que cada cliente tenha a possibilidade de escolher o ambiente Cloud que melhor se ajuste à sua dimensão e especificidades de negócio – podendo escolher entre um ambiente gerido a 100% pela Sage (para empresas mais pequenas, com poucas necessidades de customização) ou pelo parceiro implementador, mas com a certificação de qualidade da Sage – o Sage X3 Cloud-Hosted Programme. Teremos ainda um modelo híbrido para acelerar a entrega de soluções Cloud aos nossos clientes; híbrido porque a Sage assegura apenas a disponibilização da infraestrutura, dando liberdade ao parceiro para gerir e escalar a solução em função das necessidades do cliente.

A tecnologia tem ganho espaço no meio empresarial, com a deslocação dos escritórios para casa. Quais os grandes benefícios do software para os empregadores e para os colaboradores?

Um dos benefícios é, sem dúvida, a flexibilidade de poder trabalhar a partir de qualquer local – algo que foi preponderante ao longo do último ano para a sobrevivência das empresas. O trabalho remoto já não é uma opção, é uma necessidade sempre que possa acontecer, pois permite a continuidade do negócio.

Na Sage já o implementávamos antes da pandemia e sabemos que vai continuar a ser parte do futuro; assim, procuramos continuamente melhorar as nossas formas de trabalhar, e sobretudo de colaborar, para garantir que os colegas têm todos os meios de que necessitam e que a empresa continua a prestar um serviço de excelência.

As empresas não devem esperar e concluir o processo de digitalização já. Que conselhos dá a Sage neste sentido?

Na Sage queremos ser o parceiro ideal para apoiar as empresas neste processo, e sabemos que é necessário que contem com as ferramentas e também com o mindset certos para o fazer. É por isso que não fornecemos apenas a nossa tecnologia, mas também os nossos conhecimentos, proporcionando formação contínua.

Por exemplo, acabámos de lançar o programa Digital Partners, que ajuda os nossos parceiros a criar uma estratégia online completa – ajudamo-los a criar um website a partir do qual cimentam a sua presença online, mas também a mantê-lo sempre atualizado com os conteúdos mais relevantes, reforçando toda a sua estratégia de Marketing e permitindo-lhes angariar mais negócio e crescer.

Quais as tendências na área da Transformação Digital?

Sem dúvida gostaria de destacar o SaaS, por todas as vantagens que traz sobre os outros modelos de negócio; sobretudo porque permite às empresas contratar apenas os recursos necessários para enfrentar determinadas situações e vai crescendo a par do negócio. O facto de tudo estar alojado na Cloud permite a flexibilidade remota de que falava acima, com elevada disponibilidade, acessibilidade e segurança dos dados. Para além disso, o custo inicial é mais reduzido e a implementação mais rápida do que noutros modelos, tornando-o perfeito para empresas de todas as dimensões. Temos, já há muito tempo, o nosso portefólio preparado para Cloud, de forma a podermos tirar o máximo partido do SaaS, e um dos nossos objetivos é mesmo sermos uma “Great SaaS company” e migrar todos os nossos parceiros e clientes para este modelo.


Por Josep María Raventós, Country Manager da Sage Portugal

Artigos Relacionados: