O que está a mudar no comportamento dos consumidores?

De governos a empresas, até aos milhões de jovens e crianças em idade escolar que promovem greves como parte integrante das Sextas-feiras para o Futuro – a forma como poderemos levar uma vida mais sustentável tornou-se num tema relevante em toda a sociedade. Mas, como é que os tradicionais consumidores reagem a tudo isto? Os hábitos e ações destes refletem as suas perceções? E será que consideram as TIC uma ferramenta que pode ajudá-los a potenciar o seu impacto ambiental de forma positiva?

O último relatório ConsumerLab da Ericsson: “Consumidores, sustentabilidade e TIC” analisa estes tópicos. Com base num estudo quantitativo que envolveu 12 mil utilizadores globais cibernáuticos, o relatório revela a atual perspetiva do consumidor em relação a estilos de vida ambientalmente sustentáveis.

Por exemplo, em apenas duas décadas, a preocupação com a poluição do ar e da água aumentou significativamente, de um em cada cinco consumidores para quase um em cada dois. Também se verifica uma crescente atenção pelas alterações climáticas e aquecimento global, com um aumento de 13% para os atuais 50%.

O estudo também inclui as perspetivas dos consumidores quanto à responsabilidade final na mitigação do impacto ambiental. Globalmente, oito em cada 10 inquiridos considera que os governos têm um papel crucial na proteção ambiental, com aproximadamente 70% a salientar, igualmente, a importância dos cidadãos. É claro que foi também observada a necessidade de uma ação coletiva, com cinco em cada 10 a esperar que empresas e marcas assumam a sua quota-parte de responsabilidade.

Os consumidores também consideram que a inovação tecnológica é fundamental para enfrentar os desafios ambientais futuros, uma perspetiva apoiada por 46% dos entrevistados. Além disso, 36% gostaria que os seus dispositivos fornecessem orientações de aconselhamento quanto às melhores formas de viver sob premissas ambientalmente conscientes.

Curiosamente, aqueles que consideram que a tecnologia será crucial para solucionar futuros desafios ambientais expressam quase o dobro do interesse por soluções de TIC que os ajudem a ser mais conscienciosos quanto ao meio ambiente – quando comparados com os menos otimistas em relação ao papel das TIC.

“As ferramentas e os serviços de TIC podem desempenhar um papel significativo no auxílio aos esforços diários dos consumidores no sentido de reduzir o seu impacto ambiental”, considera Zeynep Ahmet Vidal, senior Researcher da Ericsson Consumer & IndustryLab e autor do estudo.

“Verificamos no nosso estudo que os consumidores compreendem que as TIC são um auxiliar útil na sua vida quotidiana, seja para matérias de cariz ambiental, de saúde, gestão financeira ou nas escolhas de conveniência. Mas as TIC também têm um elevado potencial de inovação em ações climáticas, e aqui os fornecedores de serviços têm uma oportunidade e uma posição únicas para a oferta de soluções que visem ajudar as pessoas a fazer escolhas mais sustentáveis ​​no seu dia a dia”.

O relatório ConsumerLab envolveu consumidores dos EUA, Brasil, Reino Unido, Alemanha, Espanha, Rússia, África do Sul, Arábia Saudita, Índia, Malásia, China e Austrália.

©Umit Yildirim

Artigos Relacionados: