Organizações oferecem 800 mil euros para ajuda alimentar de emergência

Fundação Calouste Gulbenkian, Google, BPI | Fundação “la Caixa”, TEAK Capital, Banco para o Desenvolvimento da América Latina e Tabaqueira respondem ao apelo de Isabel Jonet, presidente da Federação Portuguesa dos Bancos Alimentares Contra a Fome, com um apoio de 800 mil euros para o desenvolvimento da Rede de Emergência Alimentar.

A campanha de angariação de donativos continua a decorrer e conta com o apoio institucional da RTP. O objetivo é disponibilizar alimentos básicos a milhares de famílias portuguesas afetadas pela crise da pandemia da COVID-19. A Federação Portuguesa de Futebol e a Fundação do Futebol também se associaram à divulgação desta iniciativa.

O contributo destas entidades permite apoiar a Rede de Emergência Alimentar, desenvolvida pela Entrajuda, com apoio nos Bancos Alimentares, a assegurar a distribuição de refeições confecionadas ou produtos alimentares básicos para as Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS) ou diretamente para os domicílios das famílias mais carenciadas, explica o comunicado.

O objetivo desta ação solidária é responder à emergência social que resulta da crise sanitária, além de permitir evitar uma previsível rutura de stocks nos Bancos Alimentares, que não podem realizar em maio a habitual campanha de recolha de alimentos em supermercados.

Antes da crise pandémica, os Banco Alimentares, presentes em 22 pontos do País, angariavam alimentos para mais de 2600 instituições, que por sua vez apoiavam 420 mil pessoas, ou seja, 4% da população portuguesa. Apenas no último mês, mais de 10 mil famílias já pediram apoio direto ao Banco Alimentar.

Como pode ajudar?

Qualquer entidade ou particular pode ajudar a Rede de Emergência Alimentar efetuando donativos por transferência bancária para a Conta BPI PT50 0010 0000 3642 8270 0032 2 (IBAN), por MBWay para o número 922 20 19 19 ou por chamada de valor acrescentado (€1 + IVA) para o número 761 20 19 19. Refira-se que as operadoras Meo, Nos e Vodafone abdicaram de qualquer receita desta linha de valor acrescentado.

A Rede de Emergência Alimentar ressalva ainda que todos os apoios excecionais de instituições, empresas e particulares sob a forma de donativos serão objeto de recibo com relevância fiscal, com a garantia de que serão utilizados exclusivamente para comprar alimentos com apoio de uma central de compras e com base num concurso. No final da ação será enviado um relatório detalhado a todos as pessoas e entidades que queiram participar, auditado por uma consultora especializada.

A campanha foi desenvolvida pela agência de publicidade Winicio.

Artigos Relacionados: