Os efeitos da privação do sono na carreira

O que é que nos está a tirar a sono? É o trabalho, o chefe, uma doença, o problema do filho, uma questão de relacionamento, ou a falta de dinheiro?

Há tanta coisa que nos consome, e quando devemos recarregar a bateria, ela não carrega na totalidade. Não queremos aprofundar a questão que não nos deixa dormir descansados, porque dói e vamos ter de atravessar essa dor. Mas quem é que quer uma coisa dessas?

O tema do sono aparece em várias conversas. Há muitos trabalhadores com insónias e cansados. A privação do sono prejudica o desempenho no local de trabalho. Mas atribuímos pouca importância a este assunto. Como se fosse um status quo, sem resolução. Cada vez temos mais pessoas a tomar medicamentos indutores do sono, os médicos passam-nos com facilidade e há uma variedade de medicamentos à venda nas farmácias, livres de receita médica.

É normal, quando estamos vários dias sem conseguir dormir bem, que a tentação seja tomar um medicamento para acabar com o sofrimento. Sentimos no corpo e na mente os efeitos do cansaço. Mais importante seria dedicarmo-nos a investigar as causas da desordem do sono.

Dormir bem é acima de tudo uma necessidade para uma vida equilibrada. Ao deitar, o corpo encontra uma postura de repouso total, os músculos libertam-se das tensões, e as articulações deixam de carregar o peso habitual.

Quando dormimos, a pressão arterial diminui e o coração faz menos esforço para funcionar; o que leva a um menor gasto de energia. É durante o sono que o corpo se encarrega dos processos vitais para nos sentirmos bem.

Dar importância à qualidade do sono, começa por observar qual é o seu problema.

É uma dificuldade em adormecer, acorda a meio da noite, tem insónias sempre à mesma hora, acorda cansado, tem sonhos recorrentes?

É fundamental perceber o que é que acontece quando não conseguimos descansar durante a noite.

Na verdade, várias coisas deixam de acontecer. E, ao não acontecerem, as consequências podem ser avassaladoras. Muitas delas com um impacto negativo no trabalho.

  1. Falta de concentração – quando estamos com sono, é comum demorarmos mais tempo a realizar as tarefas, o que resulta numa diminuição da produtividade.
  2. Problemas de memória – um sono reparador tem sido associado a um aumento de memória, aquisição de conhecimento e aprendizagem. Enquanto dormimos o cérebro processa e armazena a informação que acumulamos durante o dia.
  3. Falhas e erros – a falta de atenção resultante de uma noite mal dormida contribui para um aumento dos acidentes de trabalho.
  4. Deterioração do humor – ficamos mais facilmente irritados e ansiosos e muitas vezes temos comportamentos desajustados.
  5. Baixa criatividade – o cansaço diminui a capacidade de invenção, reinvenção e inovação. Para termos novas ideias precisamos de alimentar as diversas partes que compõem o cérebro. E para isso precisamos de relaxar e dormir bem.
  6. Enfraquecimento do sistema imunitário – quando estamos cansados, ficamos suscetíveis a apanhar mais doenças, especialmente as que são causadas por vírus e, como consequência aumenta o absentismo no trabalho.

Já sentiu na pele estes efeitos?

Como defendeu Leonardo da Vinci, “Assim como um dia bem aproveitado proporciona um bom sono, uma vida bem vivida proporciona uma boa morte”. Será que estamos a aproveitar bem os nossos dias, ou são os dias de trabalho que se estão a aproveitar de nós?

 


Por Filipa Saldanha, Psicoterapeuta, Especialista em gestão de stresse e ansiedade

 

Artigos Relacionados: