PMI comprometida com inovação ambiental, social e de governança rumo a um futuro sem fumo

Neste compromisso de rumo a um futuro sem fumo, a Philip Morris International (PMI), de que a Tabaqueira é subsidiária em Portugal, quer transferir mais de 40 milhões de fumadores adultos para produtos alternativos sem combustão e sem fumo até 2025.

Para acelerar esta transformação, a PMI pretende disponibilizar os seus produtos sem combustão e fumo em cem mercados até 2025, ano em que prevê, pelo menos mil milhões de dólares da receita anual líquida sejam provenientes de produtos “para além da nicotina”.

Desde 30 de junho de 2021, o IQOS está disponível para comercialização em 67 mercados em todo o mundo, e a PMI estima que aproximadamente 14,7 milhões de fumadores adultos já tenham mudado para o produto de tabaco aquecido sem combustão da PMI, o IQOS, e deixaram de fumar.

Jacek Olczak, CEO da PMI, afirma que “a PMI está comprometida com esta mudança e pretende afirmar-se como uma empresa líder em Inovação. A Inovação e a inclusão são elementos-chave para a resolução dos desafios que enfrentamos, quer sejam relacionados com a redução do risco, impacto ambiental, ou social. Visamos criar um futuro sustentável que beneficie a empresa, acionistas, consumidores e a sociedade”.

A grande missão da PMI é apostar na investigação, no desenvolvimento e na comercialização de melhores alternativas para os fumadores, que sejam cientificamente comprovadas, quando comparadas com o consumo de cigarros.

Em 2020, a PMI investiu 495 milhões de dólares americanos a investigar e a desenvolver produtos sem combustão e sem fumo.

À medida que a transformação da PMI acontece, torna-se imperativo um maior envolvimento e diálogo entre todos os parceiros. A transformação que materializa esta missão tem no centro a sustentabilidade que é o motor de desenvolvimento dos seus programas em termos de desempenho ambiental, social e de governança, de modo a mitigar os riscos associados à cadeia de valor, ao mesmo tempo que aposta na inovação por um futuro melhor.

A empresa concretizou várias parcerias fundamentais em matéria de sustentabilidade, desde a segurança e proteção da saúde dos trabalhadores até à proteção dos direitos humanos com impacto direto no negócio, e a aceleração dos esforços para mitigar o impacto na mudança climática em toda a cadeia de valor.

No último ano, alguns exemplos deste compromisso passam por assegurar um rendimento mínimo (baseado na metodologia Anker), que a PMI assegurou a pelo menos 48% dos agricultores contratados para fornecer tabaco à empresa; pela redução significativa nas emissões absolutas de CO2 que inclui a redução de 26% nas operações diretas (escopo 1+2) e a redução de 18% ao longo da cadeia de valor (escopo 1+2+3).

Simultaneamente, a PMI tem progredido, de forma positiva, para afirmar os seus objetivos de neutralidade carbónica.

Em matéria de igualdade e diversidade, em 2020, 37,2% das posições de gestão da PMI eram ocupadas por mulheres, valor já muito próximo de cumprir o objetivo estabelecido pela empresa de ter 40% de posições de gestão por mulheres em 2022.

 

Artigo publicado na edição de outono da revista Líder.

Subscreva a Líder aqui.

 


Por Marcelo Nico, Diretor-Geral da Tabaqueira

Artigos Relacionados: