Português Pedro Matias escolhido para integrar o board da International Institute of Welding

O presidente do ISQ, Pedro Matias, foi eleito membro do board of directors do IIW – International Institute of Welding, a maior organização mundial e centro de referência internacional para as tecnologias de soldadura. Portugal é um dos 53 países-membros desta comunidade com forte papel na formação, qualificação e certificação, promovendo o networking entre cientistas, investigadores, academia e indústria.

O ISQ, uma organização portuguesa que fornece suporte Científico-Tecnológico através de soluções de engenharia, inspeção, ensaios, testes e capacitação, integra também o board of directors da Testing Inpection and Certification, a maior associação Internacional do sector das TIC. Esta resultou da fusão da CEOC – International Confederation of Inspection and Certification Organisation, com a IFIA, International Federation of Inspection Agencies.

Com a participação no board do IIW, o ISQ – com sete escritórios em Portugal e presente em 14 países – passa assim a integrar todos os organismos internacionais no setor da soldadura. As chamadas “tecnologias de ligação”, ou soldadura, estão presentes em todos os sectores e atividades industriais e são a base de muitos clusters industriais, como o automóvel, aeronáutica, aeroespacial, petróleo e gás ou engenharia de processo.

Soldadura digital

Hoje, a soldadura é uma atividade apoiada nas tecnologias digitais, na Internet das Coisas e na robotização, o que permite a produção de pequenas séries de objetos customizados e únicos, com vantagens a nível da redução de custos e menor consumo de matérias-primas, assim como um menor impacto ambiental.

Também a profissão de soldador deixou de estar associada a um trabalho duro e sujo, dando lugar a uma atividade muito suportada no digital, altamente tecnológica e robotizada, contribuindo cada vez mais para que seja vista como uma das profissões de futuro.

A impressão 3D (ou Manufatura Aditiva), aplicada ao metal, contribuiu para esta mudança de paradigma, permitindo aos profissionais de soldadura trabalhar o metal e outros materiais de forma inovadora e tecnológica. Este processo transforma um design tridimensional – que tem peso, tamanho e profundidade – num objeto real. Basta um software e uma impressora 3D para produzir um objeto através de deposição de material, camada por camada.

Artigos Relacionados: