Procurar emprego depois dos 50. Oito orientações para o sucesso na entrevista

Em março de 2021 foi publicada em Diário da República, a atualização para 66 anos e 7 meses da idade de acesso à reforma, ou seja, pessoas que hoje estão com 50 anos podem perspetivar uma carreira de quase duas décadas.

A longevidade da população e o nascimento de cada vez menos bebés coloca Portugal nos países da Europa com o mais elevado índice de envelhecimento. Segundo o INE, nos próximos 50 anos o número de jovens em Portugal irá diminuir de 1,4 para cerca de 1 milhão enquanto o número de idosos (mais de 65 anos) passará de 2,2 para 3 milhões.

A consolidar este cenário, a Pandemia veio a agitar as águas do mercado laboral e é de esperar que haja mais movimento de profissionais acima dos 50 anos.

Antecipando esta nova realidade, a Adecco Portugal, empresa de Consultoria e Serviços de Recursos Humanos, reuniu oito orientações para que um candidato desta faixa etária seja bem sucedido, quebrando os estereótipos normalmente associados como uma menor capacidade de adaptação, resistência à mudança, e desadequação das qualificações face às novas exigências do mercado.

  1. Ser conciso e eficaz

Num formato de entrevista comportamental, é provável que os trabalhadores mais velhos tenham muitas experiências a discutir. As perguntas costumam avaliar o comportamento do candidato no passado e o que fizeram para lidar com certas situações. A chave é responder a estas questões comportamentais com a técnica STAR (Situação, Tarefa, Ação, Resultado) de forma ajustada e clara. Lembre-se de não aborrecer o seu entrevistador – o tempo de atenção humana é muito mais curto nos dias de hoje.

  1. Ser confiante e humilde

É preciso retirar confiança da idade e experiência dos trabalhadores mais velhos que trazem conhecimentos e novas perspetivas. No entanto, a humildade também pode ajudar. Reconheça que enquanto traz muito para a mesa, tem a certeza de que pode aprender mais.

Posicionar-se desta forma, perante o entrevistado, ajudará a garantir que não está a procurar entrar e impor o que sabe, que tem capacidade de adaptação a novas situações e que está disposto a trabalhar em equipa.

  1. Prepare-se para a entrevista virtual

Cada vez mais as empresas estão a utilizar a videoconferência para realizar entrevistas iniciais com potenciais candidatos. Familiarize-se com a plataforma e teste-se para se certificar de que tudo está configurado corretamente. Poderá também considerar a realização de uma entrevista simulada, com um amigo ou serviço profissional, para se sentir confortável com o formato.

  1. Não tenha receio em falar dos seus conhecimentos de tecnologia, ou da falta deles

Não é linear que as gerações mais jovens, e naturalmente mais ligadas à tecnologia, são melhores do que uma pessoa com 50 anos. Procure oportunidades durante a entrevista para mencionar como se tem mantido a par das últimas tecnologias na sua área profissional. Se domina as ferramentas e plataformas atuais, explique como as aproveitou para resolver problemas ou criar resultados.

  1. Defenda as suas redes sociais (ou a sua falta)

A primeira impressão na paisagem de contratação de hoje é o perfil no Linkedin, não o currículo. Se não tiver uma página no Linkedin, será uma das perguntas que o recrutador lhe fará. Antes de iniciar a reunião, peça a alguém de confiança para o ajudar a ter a certeza de que tem um perfil bem pensado e bem-apresentado, com uma foto profissional de alta qualidade.

  1. Foco no presente

O processo de entrevista e seleção de hoje centra-se mais na capacidade do candidato de trabalhar em colaboração como uma equipa maior. As organizações valorizam muito as competências pessoais dos candidatos, a sua capacidade de trabalhar e motivar tanto os colegas de equipa, como os seus pares. Como candidato, deve demonstrar que fez o seu trabalho de casa, conhecer a empresa e os seus valores e pode articular como eles se alinham com quem é, tanto pessoal como profissionalmente.

  1. Não exagere as suas décadas de experiência

Em vez de jogar a carta de “já lá estive, já o fiz”, que poderia colocá-lo na pilha dos candidatos overqualified ou não estar ajustado à posição, concentre-se nas suas realizações relevantes. Os seus entrevistadores não precisam de saber tudo o que fez ou é capaz de fazer; na sua maioria, eles preocupam-se com o que fez recentemente e se relaciona com a posição em que se encontra.

  1. Remover a barreira etária para passar a entrevista de emprego

Se tem mais de 50 anos e está a candidatar-se a uma empresa “jovem”, mude a sua abordagem. Estabeleça-se como um líder que demonstrou a adaptabilidade necessária para ter sobrevivido e prosperado através das grandes mudanças no local de trabalho dos últimos 20 anos. Os recrutadores hesitam por vezes em contratar trabalhadores mais velhos porque as suas necessidades salariais são provavelmente mais elevadas e porque podem ter aspirações de reforma antecipada. Não tenha medo de ser pró-ativo durante a entrevista para assegurar que não sejam feitas suposições sobre a sua candidatura.

Artigos Relacionados: