Recomeçar

Que difícil é começar de novo. E tem de partir de nós. Mesmo quando perdemos as nossas âncoras. Recomeçar não é substituir o que se perdeu, fazendo de conta que não houve perda ou que o fim de algo não custou. Para começar de novo é preciso aceitar que nada mais vai ser igual ou que não vai ser possível manter o que tínhamos até aí.

E há um caminho pela frente? Continua a haver sempre alguma coisa que possamos fazer, pelos outros, por nós. Uma orientação, uma palavra, um olhar atento, um carinho, capazes de evitar qualquer fatalidade. Quando ajudamos o outro, estamos quase egoisticamente, a ajudar-nos, a nós.

E como passamos a acreditar em nós? Mesmo de olhos fechados há sempre uma réstia de luz que permanece, como que a dizer que há um caminho. Basta dar o primeiro passo, ainda que de olhos semicerrados, para se conseguir caminhar, ainda que os primeiros sejam pouco firmes. Ao conseguirmos, aparecem-nos coisas novas, outros caminhos, perspetivas diferentes. O que significa que todas as situações têm algo a dar-nos. Ou seja, se aproveitarmos aquilo que a vida nos der, podemos sempre recomeçar a viver, ainda melhor. Temos é de não ter pressa e não querer que sejam os outros a puxar por nós. Temos de ser nós. Temos de estar preparados para todas as voltas (e raramente estamos) que a vida nos convida, aproveitando a experiência acumulada para evoluir sempre.


Por Maria Duarte Bello, MDB Coaching e Gestão de Imagem

 

Artigos Relacionados: