Ricardo Vargas: «Liderança não é sobre ego, mas resultados»

É hora de mudarmos a forma como entendemos a liderança, diz Ricardo Vargas, CEO da Consulting House. Porque os tempos mudaram, o consultor e autor na área do desenvolvimento das organizações acredita que a solução está na criação de uma nova posição: Chief Executive Team.


Os tempos são tão incertos que o modelo de liderança assente numa única pessoa que sabe tudo e deve ter sempre solução e resposta para tudo deixou de funcionar. Como é que uma pessoa pode ter todas as respostas, perguntava durante a Leadership Summit Portugal, que decorreu na semana passada no Casino Estoril, em Cascais.

Do “líder herói”, o salto deve ser para “a inteligência coletiva”. Na sua perspetiva, o líder como aquele que detém o conhecimento já não faz sentido, “precisamos de uma equipa com uma diversidade de pessoas para definir as novas estratégias.”

A questão para si é que as equipas executivas funcionam pior do que se imagina e que por isso prejudicam os resultados financeiros. Vários especialistas defendem que os CEO estão convencidos que as suas equipas são melhores do que na realidade são.

Há aqui uma transformação urgente a fazer. Mas isso seria se os líderes atuais estivessem de acordo em abrir mão da sua forma de liderar. Muitos temem perder o controlo e julgam que mudar o estilo de liderança pode enfraquecer a sua posição.

“Liderança não é sobre ego, mas sobre resultados”, afirma Vargas, que durante mais de 25 anos foi consultor de gestores de topo em vários países. E ele diz que devemos dar mais atenção aos resultados que produzimos para os stakeholders do que à nossa imagem como líderes.

“A única objeção à criação de Executive Teams é o medo, medo do novo, da aprendizagem, de rir de nós próprios e das nossas ilusões de controlo.” Todos queremos crescimento nas nossas empresas, “o problema é que a situação ficou demasiado complexa e volátil para ser apenas gerida por uma só pessoa. Executive Teams são melhor solução do que líderes executivos. Portanto, “é preciso transformar as equipas em Executive Teams”, defende.

“Chief Executive Team” é também o título do seu novo livro que nasceu durante o confinamento, com edição prevista para o final deste ano por uma editora americana e lançamento mundial. Tem mais de 100 artigos publicados em revistas de gestão e quatro livros editados em Portugal, Espanha e Brasil.

http://

Artigos Relacionados: