“Ser Feliz em Portugal” é no Vila Galé Collection Douro

É na primeira região demarcada do mundo, o Alto Douro Vinhateiro, que encontra o hotel Vila Galé Collection Douro. Esculpido na encosta, mesmo em frente à Régua, este hotel de charme cativa desde logo pela vista deslumbrante sobre o rio e as vinhas.

«Nos 38 quartos, distribuídos por cinco pisos, neste hotel no Douro privilegia-se o conforto e a decoração moderna. Mas a paisagem e o silêncio do local convidam a aproveitar a varanda panorâmica.
Neste hotel no Douro, o restaurante Inevitável, de inspiração regional e com assinatura do chef Francisco Ferreira, conquista pelos sabores ricos e tradicionais e pela esplanada, desafiando para uma refeição ao ar livre. Já o Satsanga Spa & Welness, além da piscina interior aquecida e do jacuzzi exterior, surpreende pela fusão com a natureza, já que as suas paredes literalmente se entrelaçam com a rocha, proporcionando um ambiente de tranquilidade e relaxamento.
Combinados, todos estes serviços fazem do hotel Vila Galé Collection Douro um hotel único.
Para descobrir outros encantos desta região vinhateira, aproveite a estadia neste hotel no Douro para fazer um cruzeiro no rio, visitar as quintas produtoras de vinho onde poderemos destacar a Quinta do Val Moreira ou desfrutar de um passeio de comboio.
No concelho onde estamos inseridos, recomendamos os nossos hóspedes a visitar a lindíssima e monumental cidade de Lamego, passando pelo Castelo, Cisterna, Sé Catedral, Museu de Lamego e o famoso Santuário da Sr.ª dos Remédios, padroeira da cidade.
Além disso, a poucos quilómetros da cidade, recomendamos a visita à Rota Vinhateira da Ordem de Cister passando pelas aldeias vinhateiras de Ucanha (Torre Fortificada), Salzedas (Mosteiro) e São João de Tarouca (Mosteiro).
Os miradouros na região são inúmeros, contudo gostaríamos de destacar o Miradouro de São Leonardo de Galafura e Miradouro de Casal de Loivos», detalha Vasco Parente, diretor do Hotel.

Na primeira pessoa: Susana Coerver, CEO da Fuel e conselheira da Líder

«Quando a revista Líder me desafiou a participar neste projeto de “Ser feliz em Portugal” escolhendo uma de várias unidades hoteleiras que se tinham também elas associado a este projeto, para além de ter dito logo que sim, não hesitei em escolher o Douro vinhateiro personificado no hotel Vila Galé Collection Douro.
Da menina de Lisboa que teimava sempre em rumar a sul, foi quando há oito anos fui viver para o Porto que tive a oportunidade de pela primeira vez me deslumbrar com esta incrível paisagem e destino. Um “poema geológico” nas palavras de Miguel Torga, estradas que acompanham o rio ladeadas por encostas com vinhas trabalhadas ao longo dos séculos por famílias, também muitas delas com tradições seculares, que nos abrem as suas portas e nos dão a provar o fruto líquido do seu trabalho.
E a magia acontece novamente, quando depois de 3h de caminho começamos a avistar os entrançados de vinhas e estacionamos num hotel charmoso, de dimensão certa, quase familiar, e chegando à hora de jantar somos recebidos pelo simpático funcionário que nos recomendou uma tábua de enchidos pecaminosos da região, seguida da carne maronesa e bacalhau com broa.
Uma noite incrível de mais de 30 graus à beira rio, com vista para duas pontes, regado com um vinho da Quinta do Val Moreira que adoramos e ficamos com vontade de a conhecer, apesar de termos descoberto depois que só abriria no dia 1 de agosto e que também pertence ao Vila Galé. Sem dúvida ficou a vontade de conhecer para a próxima.
Apesar das circunstâncias que vivemos, sempre nos sentimos super seguros e confiantes, quer no pequeno-almoço de buffet que nos era servido, quer na piscina interior em que se marcava previamente a visita ou na limpeza e cuidado do enorme quarto que nos esperava com um terraço espraiado sobre o Douro. Que privilégio da natureza.
No dia a seguir, oportunidade de visitar velhos amigos numa das nossas quintas preferidas, a Quinta do Pôpa, onde tivemos oportunidade de provar vários dos seus vinhos com especial ênfase para os maravilhosos black edition Tinto e Branco de 2017, que fizemos questão de trazer para casa. Ainda tivemos tempo para espreitar algumas das suas novas experiências mais criativas que terão que ser eles a desvendar, e com as temperatura que se fazia sentir seria impossível passar o dia sem nos refrescarmos e por isso juntámos à nossa estadia um passeio de barco no Douro com direito a mergulhos e diversão.
Depois de um regresso ao hotel, foi tempo de visitar a estação de comboios da Régua, que surpreendentemente apresenta uma fileira de restaurantes de se lhe tirar o chapéu, que sem dúvida não se pode passar sem os visitar. Depois de tentarmos reservar no Castas e Pratos ou Aneto e Table acabámos por ir jantar ao Locomotiva. Imperdível a visita a esta linha de comboio, ou será linha de restaurantes?
Antes de regressar a Lisboa, mais um maravilhoso pequeno-almoço na varanda, um passeio por Lamego e a visita ao Santuário da nossa Senhora dos Remédios subindo os seus 686 degraus, uma das formas que encontrámos de nos podermos redimir de tantas iguarias maravilhosas que se comem neste Douro vinhateiro.
Fica desde já o desafio a todos os lisboetas que teimam em rumar a sul, que o seu “ser português” jamais ficará completo sem uma visita ao Douro.
Fui feliz em Portugal. Sou feliz em Portugal e sinto-me muito agradecida por isso.»

 

O que fazer na zona

 

 

Artigos Relacionados:

Centro de preferências de privacidade

Cookies necessários

Publicamos cookies neste site para analisar o tráfego, memorizar as suas preferências, otimizar a sua experiência e apresentar anúncios.

PHPSESSID, __gads, _ga, _gid, gdpr[allowed_cookies], gdpr[consent_types], wordpress_test_cookie, woocommerce_cart_hash, woocommerce_items_in_cart, _gat_gtag_UA_114875312_1
IDE
__cfduid