Soluções para o futuro do trabalho e do planeta premiadas pela Academia GRACE

Já são conhecidos os vencedores da 6.ª edição da Academia GRACE, um concurso anual dirigido a estudantes do ensino superior, e que nesta edição contou com a participação de 327 estudantes de sete instituições académicas, com a submissão de 100 candidaturas, o número mais elevado de sempre.

O GRACE – Grupo de Reflexão e Apoio à Cidadania Empresarial – é uma associação empresarial de utilidade pública, sem fins lucrativos, que atua nas áreas da Responsabilidade Social e Sustentabilidade. Integra a rede europeia do CSR Europe, líder em Sustentabilidade e Responsabilidade Corporativa, apoiando setores da indústria e empresas a nível global, na transformação e busca de soluções práticas para o crescimento sustentável.

Contando com o apoio institucional da direção geral do Ensino Superior, a Academia Grace faz parte do projeto Uni.Network, criado em 2014 com o objetivo de promover a ligação entre as empresas e as entidades académicas portuguesas nas temáticas da Sustentabilidade e Responsabilidade Social Corporativa.

Esta edição teve como foco os temas do trabalho do futuro e das alterações climáticas, que, tendo sido definidos pré-COVID-19, revelaram-se mais atuais do que nunca. Como é que as empresas se podem preparar para um futuro tão desafiante quanto difícil de definir? Tendo em conta as mudanças rápidas que apelam a uma ação imediata, como podem ser competitivas, sustentáveis, atraentes para novos talentos e promotoras do desenvolvimento dos seus colaboradores e das comunidades em que atuam?

Considerando os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, os candidatos foram desafiados a desenvolver projetos que apresentem soluções criativas e inovadoras para os temas acima propostos com aplicabilidade no contexto nacional empresarial.

Quatro trabalhos foram selecionados de acordo com os quatro prémios a concurso por um júri, presidido por João Queiroz (diretor geral do Ensino Superior) e constituído por Cristina Barros (managing director do IIRH), Gonçalo Cavalheiro (partner da CAOS), Miguel Ribeirinho (head of Business Development da Delta), Sílvia Nunes (director da Michael Page) e Luís Roberto (vice-presidente da Direção Grace em representação da Fundação BP).

O Grande Prémio Academia GRACE distinguiu Inês Ramalho, Ana Rita Moutinho, Mariana Gomes e Patrícia Catarino, do IPAM, com o projeto HealthBot – aliando a inteligência artificial com o “burnout” sentido pelos enfermeiros.

O Prémio Ideia foi atribuído a Carolina Luckhurst, Susana Rita e Vanessa Martins, do ISCSP, com o projeto “Granny’s Village – Tiny houses” adaptadas ao turismo rural.

Vanessa Pereira, Sérgio Colaço, Carine Rodrigues e Catarina Varandas, da NOVA FCSH, foram os vencedores do Prémio Ação com o projeto “As alterações climáticas: Implementação do consumo ético no El Corte Inglés”.

E o Prémio Impacto coube ao projeto “O impacto da tecnologia no setor dos serviços” (McDonald’s e setor da restauração), de Cláudia Jéssica Rodrigues Oliveira, Margarida Fernandes Lopes, Raquel Arêde Rodrigues Calisto e Sofia Ferreira Seco, da Universidade de Aveiro.


Para Luís Roberto, vice-presidente do GRACE, “estes jovens serão os futuros colaboradores das empresas. É fundamental que estejam sensibilizados para a importância da Sustentabilidade e Responsabilidade Social Corporativas e sejam portadores de inovação e de boas práticas para o tecido empresarial. Esta iniciativa incentiva a aproximação entre empresas e academia, reforçando a importância de as instituições de ensino superior integrarem temas de cidadania empresarial na sua oferta formativa.”

Dos quatro prémios atribuídos, dois são disponibilizados por associados do GRACE; o Grande Prémio Academia GRACE pela CUF; o Prémio Ação pelo El Corte Inglés e por outros dois parceiros; o Prémio Ideia pelo IES-SBS; e o Prémio Impacto pela Casa do Impacto.

Pode acompanhar a evolução da próxima edição deste prémio aqui.

 

Artigos Relacionados: