«Tornar o Taguspark no Parque Mais Cívico da Europa», garante Eduardo Baptista Correia


A Cidade do Conhecimento, situada em Oeiras Valley, acaba de anunciar uma ambiciosa medida de revisão de remunerações que vem fixar o salário mínimo para todos os trabalhadores que prestam serviços ao Taguspark em 900 euros, uma valorização de 41,7% face ao salário mínimo nacional.

A medida, que se encontra em vigor desde junho, ao abrigo de uma política de remunerações definida para a Cidade do Conhecimento, foi finalmente concluída após um acordo alcançado com todas as empresas que prestam serviços de Limpezas, Jardins e Instalações Especiais ao Taguspark. Com a conclusão deste processo negocial, estão agora abrangidos por este acordo 22 profissionais.

“A conclusão deste processo de revisão das remunerações no Taguspark era algo que ambicionávamos há algum tempo. Esta medida enquadra-se no objetivo de tornar o Taguspark no Parque Mais Cívico da Europa e pretende implementar uma política de dignidade salarial para com aqueles que diariamente prestam serviços por conta de outrem nas nossas instalações. Procuramos que se estabeleçam salários que reconheçam o bom trabalho, fomentem a motivação e contribuam para condições de vida que ajudem a terminar com ciclos de pobreza e permitam maior dignidade para com quem trabalha”, afirma Eduardo Baptista Correia. O CEO do Taguspark reforça ainda a possibilidade deste processo de negociação com as entidades prestadoras de serviços, graças à sua abertura e sensibilidade para esta parceria.

O Taguspark é o maior e mais inovador Parque de Ciência e Tecnologia em Portugal, lugar de multinacionais, pequenas empresas inovadoras, startups e universidades.

Artigos Relacionados: