World Economic Forum: De Portugal ao Japão, tudo o que precisa de saber sobre a pandemia

Como é que a COVID-19 está a afetar o globo? A 13 de Janeiro, os casos confirmados de COVID-19 já passaram os 91,6 milhões a nível mundial, segundo o Johns Hopkins Coronavirus Resource Center. O número de mortes confirmadas ascende a mais de 1,96 milhões.

Japão: O Governo japonês afirmou que irá alargar o estado de emergência a mais sete câmaras municipais. O apoio público aos Jogos Olímpicos ainda em curso este Verão caiu para 16% – menos 11 pontos percentuais num mês.

México: As autoridades sanitárias no México tomarão esta semana uma decisão sobre a autorização da vacina russa Sputnik V COVID-19.

Alemanha: Planeia reforçar o controlo das pessoas que entram no país a partir de locais onde o número de casos é elevado ou onde circula uma variante nova.

Holanda: O lockdown nos Países Baixos foi prolongado por, pelo menos, mais três semanas. As medidas incluem o encerramento de escolas e lojas.

Espanha: Pretende que todos os residentes em lares de idosos tenham recebido uma primeira dose de vacina COVID até ao final da semana.

Indonésia: Lançou uma campanha de vacinação em massa, com o Presidente Joko Widodo entre os primeiros a receber a vacina.

EUA: Quase todas as pessoas chegadas aos EUA terão de apresentar um teste COVID-19 negativo. As novas regras entram em vigor a partir de 26 de janeiro.

Nova Zelândia: Vai pedir aos viajantes internacionais vindos da maioria dos países que apresentem resultados negativos nos testes COVID-19 antes de embarcarem nos voos para o país. À chegada, os viajantes ainda serão testados e completarão o período de quarentena obrigatório de 14 dias.

Austrália: Registou um punhado de infeções adquiridas localmente – uma em Queensland e cinco na Nova Gales do Sul.

Tailândia: Aprovou novas medidas para mitigar o impacto da pandemia de COVID-19, incluindo empréstimos em condições favoráveis e um programa de subsídios para contas de serviços públicos.

Ucrânia: As mortes relacionadas com o coronavírus na Ucrânia passaram das 20.000, disse o ministro da saúde.

China: As autoridades na China introduziram novas restrições COVID-19 em áreas em torno de Pequim. A COVID-19 coloca mais 4,9 milhões de residentes sob medidas de confinamento, à medida que as autoridades introduzem restrições rigorosas onde quer que surjam novos casos.

Portugal: 156 mortos e 10 556 novos casos confirmados a 14 de janeiro, são novos máximos desde o início da pandemia. Com um novo confinamento a entrar em vigor a partir de dia 15 de janeiro. Medidas serão revistas de 15 em 15 dias.

OMS: Necessidade de seguir as medidas de saúde pública mais do que nunca


O Director-Geral da Organização Mundial de Saúde, Tedros Adhanom Ghebreyesus, afirmou que o aparecimento de novas variantes é um lembrete da necessidade de seguir medidas de saúde pública. “Quanto mais o vírus se espalhar, maior é a probabilidade de surgirem novas alterações ao vírus”, disse.

Apelou às pessoas para seguirem as medidas básicas de saúde pública “agora mais do que nunca.” Destacou ainda: “Poderão ficar fartos de o ouvir, mas o vírus não está farto de nós. Limitar a transmissão limita a possibilidade de desenvolvimento de novas variantes perigosas.”

Soumya Swaminathan da OMS foi perentório ao dizer: “não vamos atingir quaisquer níveis de imunidade de rebanho em 2021”, apelando também à adesão às medidas de saúde pública.

Congestionamento de tráfego cai em todo o mundo

De acordo com um novo relatório, as restrições induzidas devido à pandemia têm levado a uma diminuição anual do congestionamento do tráfego na maioria dos países pela primeira vez, em pelo menos uma década.

A perturbação de rotinas, como as viagens diárias para o trabalho, levou à queda do congestionamento em cidades como Los Angeles (EUA), Bengaluru (Índia) e Cidade do México (México), de acordo com o estudo da TomTom.

“Vamos ver restrições contínuas durante o primeiro semestre do ano, e penso que vamos ver muitos altos e baixos antes de voltarmos realmente a qualquer padrão normal de condução e níveis de atividade de tráfego”, disse um perito da Tomtom.

Moscovo foi a cidade mais congestionada em 2020, mas o tráfego caiu 8% a partir de 2019. Bengaluru foi a cidade mais congestionada do mundo em 2019, mas caiu para sexto em 2020, com quase 30% de queda.

Ontário, no Canadá, declara Estado de Emergência

Ontário, Canadá declarou Estado de Emergência, como resultado do aumento dos casos da COVID-19: a previsão é que venha a registar mais de 20 mil novos casos COVID-19 por dia até meados de fevereiro.

Novas restrições entrarão em vigor a partir de dia 14 de janeiro, o que significa que as pessoas terão de ficar em casa, exceto para atividades essenciais. Os encontros ao ar livre serão limitados a cinco pessoas e os trabalhos de construção não essenciais serão restringidos.

Casos de COVID-19 confirmados no Canadá

Por todo o Canadá, o número de novos casos tem vindo a aumentar. O país está em lockdown desde 26 de dezembro, com lojas não essenciais fechadas e escolas transferidas para a aprendizagem online.

Hospitais do Senegal sob pressão

Os sistemas de saúde do Senegal estão a sofrer uma pressão crescente à medida que as infeções atingem níveis recorde, com médicos forçados a admitir apenas os casos mais graves, afirmaram os responsáveis da área da saúde.

“Os casos estão a aumentar mais rapidamente do que o número de camas, pelo que estamos a viver um momento de tensão”, disse ao World Economic Forum Moussa Seydi, responsável pela resposta à COVID-19 no Senegal.

Foi reinstituído o Estado de Emergência, proibindo reuniões e impondo o uso de máscaras. Espera-se que a decisão dê às autoridades tempo suficiente para criarem novas instalações e reabrirem centros de saúde que foram utilizados durante a primeira vaga no ano passado.

Artigos Relacionados: