Vacina da China contra o coronavírus pode chegar ao mercado em novembro

As vacinas contra o coronavírus em desenvolvimento na China podem estar prontas para serem usadas pelo público em novembro, disse um funcionário do Centro Chinês para o Controlo e Prevenção de Doenças (CDC). A notícia é do portal de informação Euractiv.com em conjunto com a agência de notícias Reuters.

A China tem quatro vacinas contra a COVID-19 em estágio final de testes clínicos. Pelo menos três destas vacinas receberam a aprovação do governo para serem aplicadas a trabalhadores essenciais num programa lançado em julho para aumentar a imunidade de grupos como inspetores de fronteiras e funcionários do setor da saúde.

Esse programa autorizou que uma vacina candidata, e cuja aplicação era voluntária, fosse oferecida a trabalhadores da linha de frente em companhias aéreas chinesas, aeroportos, no China National Aviation Fuel Group e na TravelSky Technology Limited.

O que está a acontecer é que a China, que foi pioneira, e mais recentemente os Emirados Árabes Unidos estão a aceitar que os seus cidadãos sejam vacinados antes do fim dos testes clínicos.

Na China, os testes clínicos da Fase 3 decorreram sem problemas e as vacinas podem estar prontas para o público em geral em novembro ou dezembro, disse o especialista em biossegurança do CDC, Guizhen Wu, numa entrevista na noite de segunda-feira (14 de setembro). Wu, que disse não ter apresentado sintomas anormais nos últimos meses depois de tomar uma vacina experimental em abril, não especificou a que vacinas se referia.

Uma unidade da gigante farmacêutica estatal chinesa, a China National Pharmaceutical Group (Sinopharm), e a Sinovac Biotech dos EUA estão a desenvolver três vacinas no âmbito do programa de emergência do estado.

Uma quarta vacina contra a COVID-19, que está a ser desenvolvida pela CanSino Biologics foi aprovada para ser aplicada aos militares chineses em junho. A Sinopharm disse em julho que a sua vacina poderia estar pronta para ser usada pelo público até ao final deste ano, após a conclusão dos testes de Fase 3.

A corrida para encontrar uma vacina contra o coronavírus, que já matou mais de 925 mil pessoas no mundo, está ao rubro. Contudo, até hoje ainda nenhuma vacina conseguiu passar nos testes finais de grande escala e provar que é eficaz o suficiente para proteger as pessoas de contrair o vírus.

Artigos Relacionados: