Sabe aceitar críticas ou torná-las construtivas?

Quer receba, quer seja quem critica, saber encaixar ou fazer sem ofender é uma grande virtude mas também uma qualidade que se aprende.

Todos nós sabemos criticar e em mais de uma ocasião teremos recebido críticas. No entanto, o facto de ser uma espécie de ‘desporto nacional’ apontar o dedo ao que os outros fazem, não significa que seja algo positivo. Acima de tudo, se o único desejo que nos move é afiar tudo sem contribuir com nada então que seja minimamente construtivo. Portanto, se vamos reclamar das ações dos outros, é melhor que o façamos de uma forma que edifique. E se somos nós que vamos receber esse “apreço”, o ideal é que o enquadremos da melhor forma possível. O primeiro, distingue uma crítica construtiva de uma destrutiva. Podemos determinar, em primeiro lugar, a intenção de quem o faz, pois esta pode ser dirigida com a intenção de socorrer ou de ajudar.

 

De que depende a aceitação da críticaA auto-estima desempenha um papel muito importante. Uma pessoa com uma autoestima mais forte normalmente aceita melhor as críticas, pois sente-se  segura e pode avaliar os aspectos negativos dessas críticas de forma mais construtiva. Pelo contrário, uma pessoa com baixa autoestima pode ser muito afetada por um comentário que considere negativo, pois atua como um gatilho. Por exemplo, se alguém diz a uma pessoa com autoestima enfraquecida que ela se deve esforçar mais, a pessoa afetada pode ter pensamentos como ” não valho nada” ou “nunca vou melhorar”. Como lidar com a crítica quando ela é construtiva?Pode magoar-nos, mas se a intenção for boa, podemos aprender:Devemos descobrir se queremos ouvir essas críticas ou não. Se queremos ouvir o que nos dizem, porque estamos interessados ​​na sua opinião. Existem opiniões ou críticas que podemos querer ouvir após avaliar que nos podem  ajudar, se for o caso é bom ouvi-los. Também se é o momento certo, pois é possível que não estejamos tão dispostos a ouvir e neste caso devemos adiar para outro dia. E ainda avaliar, mais uma vez, a intenção e a confiança da pessoa que faz a crítica. Como lidar com críticas destrutivas?Se, pelo contrário, é destrutiva, devemos parar para pensar se este tipo de crítica funciona como um padrão estável ao longo do tempo. Tentemos proteger-nos e sermos o mais assertivo possível. Principalmente se isto acontecer no local de trabalho. Nestes casos, vale sermos o mais assertivos que pudermos e termos algumas estratégias. Por exemplo, estabelecer limites e mostrar as suas convicções. Em alguns casos será mais útil e saudável usar uma certa passividade como estratégia, mas noutros será útil estabelecer limites se sentirmos que nos estão a desrespeitar ou quando querem impor-nos algo sem intenção de ajudar. Chegará o momento de sermos mais assertivos e darmos a nossa opinião com respeito, mas com convicção. Por fim, se somos nós que fazemos uma crítica, devemos levar em consideração que o que não gostámos, não devemos aplicá-lo aos outros. Da mesma forma, devemos levar em conta se estamos a ser oportunos, se é o momento certo para fazer aquela crítica, se o outro está emocionalmente equilibrado e óbvio medir o nível de confiança, ter muito cuidado com a linguagem e sempre, acima de tudo, fazê-lo com o intuito de ajudar e com o máximo respeito.

 


Por Maria Duarte Bello, CEO da MDB – Coaching e Gestão de Imagem, Coach PCC & Mentor Senior

Artigos Relacionados: