Pode estar com stresse parental? Este teste é para si

Se por um lado, ser mãe e ser pai dá um sentido de propósito e significado à nossa vida, traz-nos satisfação, gratificação e sentimentos de realização e bem-estar. Por outro, as responsabilidades e exigências de educar crianças/jovens saudáveis e felizes também podem desafiar os nossos limites, gerar stresse e sentimentos de sobrecarga. Para auxiliar na reflexão sobre esta temática a Ordem dos Psicólogos Portuguesa (OPP) disponibilizou uma Checklist.

Ser mãe ou ser pai, por muito competentes que sejamos, também é lidar com frustrações, medos, falhas e desafi­os – tais como encontrar um equilíbrio entre a vida familiar e profi­ssional, tomar decisões sobre a educação dos nossos ­lhos e ­lhas ou lidar com expectativas externas de que sejamos “pais e mães perfeitos”.

O stresse de cuidar de uma criança ou jovem pode fazer-nos sentir ansiosos, zangados, culpados ou completamente esgotados. Podemos até questionarmo-nos se somos bons pais. Estas tensões são naturais e inevitáveis, fazem parte da parentalidade. Contudo, o stresse parental pode tornar-se um problema quando nos sentimos tão desgastados que não conseguimos lidar com o que acontece ou perdemos o controlo. Explica-nos a OPP.


Utilize esta Checklist para refletir sobre o seu nível de stresse parental (durante o último mês). Responda, o mais sinceramente possível e com base na sua experiência pessoal, assinalando com um sempre que a resposta às a­rmações for “sim, na maior parte do tempo”. Não existem respostas “certas” ou “erradas”.

Os resultados desta Checklist servem apenas para ajudar a tomar consciência e refletir sobre o stresse que a parentalidade pode gerar. Não constituem, de forma alguma, uma avaliação ou diagnóstico psicológico. Se se sente preocupado com a sua Saúde Psicológica e sobrecarregado com as tarefas da parentalidade, procure ajuda profi­ssional – um Psicólogo ou Psicóloga pode ajudar.

  1. Sinto-me muito cansado/a, tudo é um esforço para mim.
  2. Sinto que cuidar do meu ­filho/a consome mais energia do que aquela que tenho.
  3. Sinto-me ansioso/a, nervoso/a, preocupado/a ou irritável.
  4. Sinto-me sem esperança, acho que vai tudo correr mal.
  5. Sinto que não sou um bom pai/mãe.
  6. Sinto-me triste, nada me anima.
  7. Sinto-me sozinho/a e/ou não tenho a quem pedir ajuda ou apoio se precisar.
  8. Sinto-me distante da minha fi­lha/o.
  9. Não consigo usufruir e tirar prazer dos momentos que passo com o meu fi­lho/a.
  10. Preocupo-me com a minha capacidade fi­nanceira para dar uma boa vida à minha fi­lha/o.
  11. Tenho difi­culdade em equilibrar as minhas responsabilidades pro­fissionais e parentais.
  12. Sinto que não tenho tempo para mim e que ser mãe/pai tomou conta de toda a minha vida.
  13. Não sei lidar com os comportamentos do meu ­filho/a.
  14. Sinto que estou a falhar como pai/mãe.
  15. Não aguento mais ser mãe/pai. Tenho vontade de fugir.

Stresse parental: Chave de Leitura:

1 – 3 Parece estar a lidar bem com as exigências e os desafi­os da parentalidade. Lembre-se que é natural sentir algum stresse e preocupação enquanto pai ou mãe. Cuide da sua Saúde Psicológica e do seu bem-estar. Em www.eusinto.me pode encontrar informações e recursos que podem ser úteis.

4 – 8 Em diversos momentos é natural sentir stresse e sentimentos de sobrecarga enquanto pai e mãe. A parentalidade é uma tarefa muito exigente e desafi­ante e todos podemos sentir di­ficuldade e precisar de ajuda. Fale com pessoas em quem confi­a sobre aquilo que o preocupa, reserve tempo para cuidar de si e procure ajuda – um Psicólogo pode ajudar. Em www.eusinto.me também pode encontrar informações e recursos que podem ser úteis.

9 – 15 Quando nos sentimos exaustos e sobrecarregados com os desa­fios da parentalidade, devemos procurar ajuda. Um Psicólogo pode colaborar connosco e ajudar-nos a pensar de forma mais clara e a encontrar estratégias para resolvermos as nossas di­ficuldades. Ligue para o Serviço de Aconselhamento Psicológico da Linha SNS24.

Artigos Relacionados: